Polícia de NY revista escritório de estilista acusado de crimes sexuais

O milionário estilista canadense Peter Nygard, fotografado em 2005, é investigado por violência sexual

A polícia de Nova York e o FBI revistou os escritórios do estilista canadense Peter Nygard nesta terça-feira, acusado de estuprar adolescentes e jovens em festas luxuosas em sua mansão nas Bahamas.

Um porta-voz da promotoria no distrito sul de Nova York disse à AFP que a batida ocorreu na sede da empresa, no edifício Nygard na Times Square.

Nygard, 78 anos, é alvo de uma investigação há cinco meses por exploração sexual de menores, informou o New York Times numa reportagem publicada no domingo.

Na semana passada, dez mulheres não identificadas entraram com uma ação civil contra Nygard, acusando-o de abusar sexualmente delas em sua mansão nas Bahamas, onde o estilista mora desde 1986. Três delas tinham 14 anos e duas 15 anos.

O designer e sua empresa "recrutaram, atraíram e convenceram meninas e mulheres jovens, impressionáveis e muitas vezes pobres, com pagamentos em dinheiro e promessas falsas de oportunidades para trabalharem como modelo para atacá-las, estuprá-las e sodomizá-las", observa o processo civil apresentado em 13 fevereiro, ao qual a AFP teve acesso.

O acusado usou "álcool, drogas, força, fraude e outras formas de coerção" para fazer sexo com essas meninas e mulheres jovens, sabendo que muitas tinham menos de 18 anos, indica a demanda.

Nygard, pai de 10 filhos com oito mulheres diferentes, nega todas as acusações e diz que são o resultado de uma briga com seu vizinho bilionário das Bahamas, gerente de um fundo de investimento de Louis Bacon, que contratou detetives particulares para investigá-lo, de acordo com o New York Times.

A investigação do Times mostra um padrão de reclamações sobre a má conduta sexual de Nygard há mais de 40 anos.

Nove ex-funcionárias entrevistadas pelo jornal disseram que Nygard as estuprou, tocou nelas sem consentimento ou propôs fazer sexo.

Segundo o Times, a maioria das dez mulheres que entraram com o processo foi estuprada em festas de luxo, onde foram oferecidas serviços de beleza, massagens e passeios de jet ski, entre outras coisas.

A fortuna de Nygard, fundador da marca de roupas femininas Nygard International, foi estimada em pouco mais de 640 milhões de dólares em 2015, segundo a revista Canadian Business.