Polícia prende criminoso envolvido em tentativa de sequestro de helicóptero para resgatar chefes do tráfico

Policiais penais da Divisão de Recaptura (Recap), da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), com apoio do 22ª DP (Penha), prenderam, na tarde desta terça-feira, em Niterói, o criminoso foragido Gerlan Dias da Silva, de 26 anos. Ele é um dos envolvidos no sequestro de um helicóptero, em setembro de 2021, com a intenção de resgatar chefes da maior facção de tráfico do estado, que seriam transferidas do Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio, para presídios federais.

Dentista baleado em assalto na Zona Norte está em estado grave

Jovem de 17 anos é esfaqueada a caminho da escola em São Gonçalo

A ação se deu a partir de informações do Disque Denúncia, em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela 2ª Vara Federal de Niterói, pelos crimes de sequestro, facilitar fuga de presos, expor perigo a embarcação ou aeronave, entre outros.

O criminoso foi levado para a sede da 22ª DP (Penha), onde foi cumprido o mandado de prisão e tomadas as medidas cabíveis sobre o caso. Em seguida, ele será encaminhado para uma unidade prisional da Seap, onde ficará acautelado à disposição da Justiça.

Tentativa de assalto: Idoso e funcionário de igreja são baleados no Centro do Rio

Relembre o caso

Na ocasião do episódio, quem comandava a aeronave era Adonis Lopes, que também é piloto da Polícia Civil. Ele foi rendido por criminosos ao decolar de Angra dos Reis, na Costa Verde do Rio. De acordo com o depoimento do piloto, assim que levantou voo, os dois tripulantes anunciaram o sequestro e um deles estava armado com uma pistola. Na tentativa de evitar o pouso no presídio, conforme mandado pelos criminosos, a vítima levou a aeronave para o Batalhão de Bangu (14º BPM), que fica ao lado do complexo penitenciário.

Quando sobrevoava o batalhão, o piloto fez uma manobra para simular uma queda. Simultaneamente a essa ação, Adonis entrou em luta corporal com a dupla que, na iminência de queda da aeronave, o deixou pilotar. Ele, então, voou até Niterói e os criminosos, fugiram para uma região de mata.