Polícia prende estelionatário com mais de 150 anotações criminais por golpes no Rio

·2 min de leitura

Rio - Policiais da 5ª DP (Mem de Sá) prenderam um homem suspeito de ser um dos maiores estelionatários do estado do Rio, nesta quarta-feira. Marcelo Jorge Pereira da Silva, de 54 anos, possui uma ficha com 159 anotações criminais - a grande maioria delas por golpes praticados por meio de empresas, cooperativas, consórcios e imobiliárias, em que ele simula negócios jurídicos legítimos, recebe pagamentos de entrada por parte dos clientes e, depois, fecha o escritório e some. Ele foi autuado por estelionato, associação criminosa, resistência e lesão corporal, após atacar um agente com um cassetete retrátil.

De acordo com o delegado Bruno Gilaberte, titular da 5ª DP e que tem quase duas décadas de atuação na Polícia Civil do Rio, a equipe se surpreendeu com a extensão da Folha de Antecedentes Criminais (FAC) do suspeito, com 339 páginas, ao tentar imprimi-la na delegacia. O inquérito mostra que Marcelo embora seja proprietário da cooperativa habitacional Cores do Rio, dedicada supostamente a intermediação da compra e venda de imóveis, na verdade a empresa não passa de uma fachada para a aplicação de golpes.

Os consultores da empresa rastreavam ofertas de imóveis em classificados online e entravam em contato com os vendedores, oferecendo o serviço de captação de clientes. Quando estes surgiam, eles então apresentavam uma proposta de financiamento - o cliente pagaria uma entrada, que seria repassada ao proprietário do imóvel e a empresa arcaria com o restante da dívida. Em contrapartida, o cliente ficaria responsável por pagar parcelas de um financiamento junto à empresa, acrescidas de juros.

Segundo o delegado, ao menos dois clientes da Cores do Rio foram lesados por não terem o valor pago repassado ao proprietário do imóvel. Em seguida, Marcelo interrompeu o contato com eles e fechou escritórios. Ao chegarem na sede da empresa, policiais da distrital foram agredidos por ele. O golpista foi encaminhado ao sistema penitenciário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos