Jovem da Califórnia é acusado de tentar assassinar juiz da Suprema Corte americana

Um jovem da Califórnia incomodado com os tiroteios em massa nos Estados Unidos e as decisões que serão anunciadas pela Suprema Corte sobre o aborto e o direito ao porte de armas foi acusado nesta quarta-feira de tentar assassinar o juiz conservador Brett Kavanaugh.

Nicholas John Roske foi preso por volta de 1h50 em frente à casa de Kavanaugh, em Chevy Chase, Maryland, arredores de Washington, portando uma arma semiautomática Glock 17, uma faca e um colete tático, segundo documentos apresentados em um tribunal federal.

Roske foi visto por dois policiais do lado de fora da casa de Kavanaugh. Ele então se afastou e telefonou para o serviço de emergência dizendo que se sentia um suicida e que havia vindo da Califórnia para matar Kavanaugh, de acordo com os documentos.

O jovem, 26, foi preso sem incidentes pela polícia local enquanto ainda estava ao telefone. Mais tarde, disse "que estava irritado com o vazamento de um projeto de decisão recente da Suprema Corte sobre o direito ao aborto, bem como com o tiroteio na escola de Uvalde, Texas", segundo declaração do FBI. "Roske indicou que achava que o juiz que pretendia matar ficaria do lado das decisões da Segunda Emenda, que relaxariam as leis de controle de armas."

O presidente Joe Biden condenou a ameaça a Kavanaugh "nos termos mais fortes", divulgou a Casa Branca.

- Mais segurança -

A prisão ocorre no momento em que a Suprema Corte se prepara para emitir decisões potencialmente históricas no fim do mês, sobre dois casos de grande peso político, sobre o aborto e o direito ao porte de armas.

Segundo o rascunho divulgado no começo de maio, a Suprema Corte pode estar prestes a derrubar as proteções federais ao direito ao aborto, provavelmente abrindo caminho para muitos estados proibirem completamente o procedimento. Depois que o rascunho, escrito pelo juiz conservador Samuel Alito, vazou para a imprensa, manifestantes pelo direito ao aborto protestaram do lado de fora das casas de vários juízes, incluindo Kavanaugh.

"As ameaças de violência e a violência real contra os juízes, é claro, atacam o coração da nossa democracia", declarou hoje o procurador-geral dos Estados Unidos, Merrick Garland. "Por isso, acelerei no mês passado a proteção de todas as residências dos juízes 24 horas por dia."

- Aborto e armas -

O parecer final do tribunal será publicado no fim de junho, e ainda não se sabe se anulará ou não o processo Roe v. Wade, que há cinco décadas consagrou o direito constitucional ao aborto em todo o país.

O jovem também se irritou com a recente onda de tiroteios em massa, disseram os investigadores ao Post. Espera-se que o máximo tribunal também se pronuncie antes de 30 de junho sobre um caso de armas de fogo em Nova York que poderia flexibilizar as leis de controle de armas.

Kavanaugh é um dos três juízes da ala conservadora a Suprema Corte indicados pelo ex-presidente republicano Donald Trump. O máximo tribunal, de nove membros, conta atualmente com seis magistrados conservadores e três progressistas.

Confirmado em 2018 após um acirrado debate envolvendo acusações de agressão sexual desde sua juventude, Kavanaugh representa para muitos progressistas americanos a face da mudança do tribunal superior para a direita.

pmh/ad/yow/aa/mvv/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos