Polícia prende homem armado que ameaçou juiz da Suprema Corte dos EUA

A polícia prendeu um homem armado na madrugada desta quarta-feira perto da casa do juiz Brett Kavanaugh, membro da Suprema Corte dos Estados Unidos, contra quem "proferiu ameaças". A prisão ocorreu no momento em que o Tribunal Federal do país se prepara para emitir decisões potencialmente históricas em dois casos de grande carga política sobre aborto e o direito ao porte de armas.

Aborto nos EUA: Estados americanos entrarão em batalhas judiciais caso Suprema Corte proíba direito ao aborto no país

Ala conservadora: Suprema Corte dos EUA rejeita, pela segunda vez, bloquear lei antiaborto do Texas

Direitos em risco: Sinalização da Suprema Corte contra o aborto pode afetar outros direitos baseados na 'privacidade' nos EUA

"Aproximadamente à 01h50 (02h50 no horário de Brasília) de hoje (quarta-feira) um homem foi preso perto da residência do juiz Kavanaugh, disse em um comunicado a porta-voz do tribunal, Patricia McCabe. Acrescentou que "o homem estava armado e fez ameaças contra o juiz Kavanaugh" e por isso foi detido, sem dar mais detalhes.

O jornal The Washington Post, citando fontes anônimas, disse que o homem, na casa dos 20 anos, foi preso não muito longe da casa de Kavanaugh em Chevy Chase, Maryland, nos arredores de Washington, carregando uma arma e ferramentas para invadir uma casa. Ele disse à polícia que queria matar o juiz, segundo o The Washington Post.

De acordo com o jornal, as forças de segurança foram informadas do perigo que representava e o prenderam antes que chegasse à casa do juiz. Elas disseram que ele estava "irritado" por um esboço divulgado no início de maio, segundo o qual a Suprema Corte poderia estar prestes a derrubar as proteções federais dos direitos ao aborto, provavelmente abrindo caminho para muitos estados proibirem completamente o procedimento.

Direito ao aborto: Saiba em quais estados dos EUA o direito ao aborto poderia ser derrubado caso a Suprema Corte anule decisão Roe vs. Wade

Depois que o rascunho, escrito pelo juiz conservador Samuel Alito, vazou para a imprensa, manifestantes pelo direito ao aborto protestaram do lado de fora das casas de vários juízes, incluindo Kavanaugh.

O parecer final do tribunal será publicado no final de junho e ainda não se sabe se anulará ou não o processo Roe v. Wade, que há cinco décadas consagrou o direito constitucional ao aborto em todo o país.

O homem também se irritou com a recente onda de tiroteios em massa, disseram os investigadores ao Post. Espera-se que o máximo tribunal também se pronuncie antes de 30 de junho sobre um caso de armas de fogo em Nova York que poderia flexibilizar as leis de controle de armas.

Massacre no Texas: Matthew McConaughey vai à Casa Branca e defende controle de armas

Kavanaugh é um dos três juízes da ala conservadora a Suprema Corte indicados pelo ex-presidente republicano Donald Trump. O máximo tribunal, de nove membros, conta atualmente com seis magistrados conservadores e três progressistas.

Confirmado em 2018 após um acirrado debate envolvendo acusações de agressão sexual desde sua juventude, Kavanaugh representa para muitos progressistas americanos a face da mudança do tribunal superior para a direita.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos