Polícia prende PM suspeito de envolvimento no sequestro de juiz americano em Copacabana

Policiais da Delegacia Antissequestro (DAS) cumpriram nesta quarta-feira (20) o mandado de prisão contra o policial militar Felipe Augusto Silva Borges pelo crime de extorsão mediante sequestro. Ele é suspeito de participação no sequestro de um juiz americano em Copacabana, no último dia 11.

A 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) e a Subsecretaria de Inteligência da Polícia Militar levaram o PM para a DAS. Como o policial teria apresentado um atestado falso porque faltou o serviço, ele já estava preso administrativamente.

No último dia 13, os policiais da DAS já haviam prendido duas garotas de programa suspeitas de envolvimento no caso. Beatriz Freitas dos Santos, de 19 anos, e Shayna Xavier Monteiro da Silva, de 27, foram capturadas nas localidades de Jardim Gramacho e Serrinha, respectivamente.

As investigações tiveram início após agentes da 24ª DP (Piedade) receberem informações sobre um americano sequestrado por bandidos, que exigiam pagamento como resgate. A polícia, em uma ação conjunta que também contou com a participação da DAS e da Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), acabou descobrindo que a vítima foi rendida por dois homens em seu flat, em Copacabana, horas depois de receber as duas garotas de programa. Elas voltaram ao imóvel com os criminosos, que roubaram dinheiro do turista e o levaram para local desconhecido.

Durante as investigações foi possível verificar que a vítima havia recebido no seu flat duas garotas de programa pela manhã e que, na parte da tarde do mesmo dia, elas retornaram ao local acompanhadas de dois homens que renderam o americano, roubaram alguma quantia em dinheiro e o levaram para local ainda desconhecido, momento que passaram a exigir o pagamento de resgate para liberação da vítima. Um dos homens seria o PM Felipe Borges; o outro suspeito, também preso, é Erivaldo Juvino Silva, conhecido como Nem da Malvina, é apontado como o principal chefe de uma milícia que atua em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade.

Vítima vem há 20 anos ao Brasil como turista

Em depoimento à polícia, a vítima contou que costuma vir ao Brasil há 20 anos a turismo e costuma se hospedar em flats de Copacabana. Ele relatou que já manteve um relacionamento com uma brasileira. O juiz contou ter chegado ao Rio no último dia 3 e, uma semana depois, marcou um no flat encontro com duas garotas de programa que havia conhecido em viagens anteriores.

Na manhã da segunda-feira, dia 11, o americano disse que as garotas de programa pegaram um carro de aplicativo para deixar seu flat por volta das 11h30. Uma hora depois, porém, as mulheres bateram à porta do apartamento. Quando abriu a porta, dois homens entraram acompanhando as garotas de programa.

Os homens se apresentaram como policiais. Um deles, segundo a vítima, estava armado com uma pistola. Um dos homens, disse o juiz aposentado à polícia, era Erivaldo. Os dois homens disseram ao americano que ele seria preso.

Após horas de diligências e negociação, no momento em que os criminosos retornaram para o bairro de Copacabana, agentes prenderam um dos homens e libertaram a vítima sem pagamento de resgate.

A investigação ainda está em andamento, inclusive com diligências com o objetivo de capturar o último autor foragido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos