Polícia prende sequestradora foragida acusada de manter vítimas acorrentadas em cativeiro no Rio

A Polícia Militar prendeu nesta quarta-feira Luzia Caetano Alves, mais conhecida como Tia, de 53 anos. Ela é acusada de integrar uma quadrilha de sequestradores atuante na década de 1990 na Zona Norte do Rio e em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo investigações, Luzia costumava manter suas vítimas em cativeiro, acorrentadas.

Investigação: MPF denuncia 19 integrantes de organização criminosa por tráfico internacional de drogas

Blindados: 'Caveirinhas' da PM começam a patrulhar vias expressas em agosto

Restrição: Justiça suspende participação da PRF em operações policiais fora de estradas e rodovias

Ela teria atuado no sequestro do proprietário de uma marca de roupas do Méier em agosto de 1995, caso que ganhou repercussão à época. O empresário foi libertado pela Delegacia Anti-Sequestro (DAS) após passar 22 dias em cativeiro.

Luzia foi presa na Rodovia Presidente Dutra. Contra ela havia um mandado de prisão por extorsão mediante sequestro, tendo sido condenada a 12 anos de reclusão.

De acordo com a polícia, ela vinha sendo monitorada Superintendência de Inteligência e Análise da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (Sih/CDD), divisão responsável por deter a foragida. A polícia também contou com informações do Disque Denúncia.

Na libertação do empresário sequestrado, em 1995, quatro integrantes da quadrilha foram presos no local. Entre eles, o homem apontado como líder do grupo, Roberto Célio Lopes, primo do traficante Ulissiano do Nascimento, o Ulisses, da favela de Vigário Geral.

Também foi preso Antônio da Costa Nicolau Filho, o Toninho, de 61 anos, que se encontra evadido do sistema prisional. Ele tem três mandados de prisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos