Polícia prende sete suspeitos de ligação com ataque em Londres

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A polícia britânica prendeu sete pessoas na manhã desta quinta-feira (23) em uma ação que investiga o ataque terrorista que matou três pessoas e feriu 40 nos arredores do Parlamento, em Londres.

O suspeito foi morto pela polícia após esfaquear e matar um agente.

O chefe do departamento anti-terrorismo da Grã-Bretanha, Mark Rowley, havia dito na noite de quarta que cinco pessoas morreram, incluindo o terrorista, mas voltou atrás e disse nesta quinta (23) que ocorreram quatro mortes.

As autoridades ainda não informaram quem são os presos e qual a relação deles com o ataque. A ação ocorreu em Londres, Birmingham e outras partes do país.

Em pronunciamento, Rowley afirmou que não há evidências que indiquem novas ameaças ao país e que acredita que o terrorista agiu sozinho, inspirado por outros atos de terrorismo internacional.

Sem oferecer detalhes, a polícia britânica disse que existem pessoas de diversas nacionalidades entre os feridos hospitalizados. As vítimas fatais, além do terrorista, foram o policial esfaqueado, um homem na casa dos 50 anos e uma mulher na casa dos 40.

O QUE NÃO SE SABE

- Gravidade do estado de saúde das 40 pessoas feridas

- Identidade do autor da ação, baleado e morto pela polícia

- Motivação do ataque

- Existência de eventual relação com organização terrorista, embora polícia trabalhe sob o princípio de que autor seja inspirado pelo "terrorismo internacional"

ATAQUES ANTERIORES NO REINO UNIDO

7.jul.2005

Quatro terroristas matam 52 pessoas em ataques suicidas no sistema de transporte. Dias depois, o brasileiro Jean Charles de Menezes é morto pela polícia, confundido com autor de atentado a bomba na véspera

22.mai.2013

Soldado é esfaqueado por dois homens perto de uma base militar no sudeste de Londres

5.fev.2015

Homem esfaqueia três pessoas na estação Leytonstone do metrô de Londres