Polícia prende suspeito de espancar comerciante chinês até a morte

ALFREDO HENRIQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um suspeito de 20 anos foi preso nesta quarta-feira (6) acusado de agredir até a morte um comerciante chinês de 32 anos, durante um assalto à casa da vítima, em 13 de setembro, no bairro Pedreira (zona sul da capital paulista). Outros quatro criminosos que teriam participado da ação ainda são procurados, segundo a polícia. 

De acordo com o Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), investigações indicaram que o suspeito estaria na região da Vila Curuçá (zona leste). No local, policiais fizeram um cerco e afirmaram que precisaram atirar contra uma das pernas do suspeito, que teria reagido à abordagem. Ele não corre risco de morrer. 

Com o suspeito, acrescentou o Deic, foram encontrados 13 papelotes de cocaína e maconha --a quantidade não foi informada. Além da acusação pelo homicídio, ele acabou também preso por tráfico de drogas. "Foi ele que agrediu até a morte o comerciante durante o roubo", disse o delegado Ricardo Guanaes, titular da 1ª Delegacia do Patrimônio do Deic. 

O Crime  A polícia informou na ocasião do crime que ao menos três homens invadiram a casa da família de comerciantes chineses, por volta das 5h30, quando o pai da vítima abriu a porta dos fundos do imóvel. Posteriormente, outros dois ladrões entraram e renderam os três moradores, o pai, a mãe e o filho, que ainda dormia em seu quarto.

Os pais relataram à polícia que os bandidos foram extremamente violentos e a todo momento perguntavam onde estava o dinheiro e o ouro. Apenas um deles portava arma de fogo. Para assustar às vítimas, os ladrões as ameaçaram com facas nos pescoços e jogaram álcool em seus cabelos, ameaçando atear fogo em seguida.

Enquanto isso, as vítimas disseram à polícia que escutavam barulho de objetos sendo quebrados vindo do quarto do filho. No entanto, depois de um tempo, estes ruídos cessaram.

O casal entregou aos ladrões R$ 3.500, valor resultante das vendas de uma avícola que fica na parte térrea do imóvel. Em seguida, eles pediram a chave do comércio, de onde levaram mais R$ 1.500.

Antes de irem embora, os assaltantes amarraram o casal. O marido, após se livrar das cordas, encontrou o filho caído no quarto. O resgate foi acionado, mas não conseguiu reanimá-lo.