Polícia prende suspeito de matar vencedor da Mega-Sena, diz governador de SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dos suspeitos do assassinato de Jonas Lucas Alves Dias, vencedor da Mega-Sena morto na última quarta-feira (14), foi preso pela Polícia Civil.

O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), em sua conta no Twitter neste sábado (17). Na postagem, ele afirma que as investigações levaram a uma conclusão sobre o crime.

A vítima, de Hortolândia, interior paulista, foi morta dois anos após ganhar na loteria.

"A Polícia Civil esclareceu o crime do assassinato do ganhador da Mega-Sena, que aconteceu em Hortolândia, no dia 14/09. Um dos criminosos já está atrás das grades. Mais detalhes em breve", disse Garcia nesta tarde, sem dar o nome dos autores do crime. A polícia deve divulgar mais informações ainda neste sábado.

Um dia após ter desaparecido, Jonas Lucas Alves Dias, 55, foi encontrado com sinais de espancamento na manhã de quarta-feira (14) na alça da rodovia dos Bandeirantes (SP-348), altura do Jardim São Pedro, em Hortolândia, a 115 km da capital paulista.

Levado a um hospital, ele não resistiu e morreu.

Alves Dias foi o ganhador do prêmio de R$ 47,1 milhões da Mega-Sena no dia 5 de setembro de 2020. Naquela ocasião, outra aposta também levou o mesmo valor.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), o caso foi registrado como extorsão seguida de morte e é investigado pela delegacia de Hortolândia, com apoio da Deic de Piracicaba.

"Ela [a vítima] foi socorrida ao hospital da região onde não resistiu aos ferimentos e faleceu. Seu irmão, 65, prestou esclarecimentos e relatou que o homem estava desaparecido havia um dia. A vítima teve aproximadamente R$ 20 mil retirados de sua conta bancária por meio de transferências bancárias e via Pix. O seu cartão de débito também foi levado pelos suspeitos", informou a SSP-SP.