Polícia prende suspeito de participar da morte de turista argentino no Rio

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A polícia do Rio prendeu na madrugada deste sábado (1°) um dos suspeitos de envolvimento na morte do turista argentino Matías Sebastian Carena, 28.

Carena foi morto após ser agredido em um bar em Ipanema, zona sul do Rio, no último domingo (26). O turista passava férias no Rio com amigos. Ele foi agredido em um bar chamado Barzin, frequentado por jovens de classe alta da cidade.

Os motivos que levaram às agressões ao jovem ainda não foram esclarecidos. Vídeo de câmeras de segurança de prédios na região, divulgado pela TV Globo, mostram Carena tentando fugir da agressão, quando é atingido no rosto por um soco.

Ele cai desacordado e bate a cabeça no degrau de uma loja. Mesmo no chão, ele continua sendo agredido. Um dos homens chega a usar uma muleta para bater no turista. Três homens são suspeitos de participar da agressão.

Na madrugada desta sábado foi preso Pedro Henrique Marciano, conhecido por PH, 25. Ele foi encontrado pela Polícia Militar na favela da Coreia, em Senador Camará, zona oeste do Rio, a partir de denúncias anônimas fornecidas ao disque denúncia.

Ele prestará depoimento na Delegacia de Homicídios da capital, ainda neste sábado. PH seria amigo de outros envolvidos na agressão, que são considerados foragidos.

Um dos foragidos é Valterson Ferreira Cantuária, conhecido como Toddy Cantuária, integrante da banda de pagode Karametade, que fez sucesso no final dos anos 1990 e início dos anos 2000.

Segundo a polícia, na manhã do mesmo dia, ele embarcou em um avião para Madri, na Espanha. Ele teria pego um táxi logo após a agressão, passado em casa no bairro de Ipanema e seguido para o aeroporto internacional. Teria sido ele o autor do soco que desacordou o turista.

O terceiro envolvido seria Júlio Cesar Oliveira Godinho. Os três tiveram prisão temporária decretada pela Justiça. O vídeo mostra que os amigos do rapaz tentam socorrê-lo ainda na calçada. É possível ver que um dos amigos amigos tenta fazer massagem cardíaca no jovem, que chegou morto ao hospital.

A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa ou representantes dos envolvidos.