Polícia prende terceiro suspeito de assassinato de jornalista britânico e indigenista na Amazônia

Policiais levam caixão com restos mortais encontrados na Amazônia em buscas por Dom Phillips e Bruno Pereira

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - Um terceiro suspeito do assassinato do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista brasileiro Bruno Pereira na Amazônia foi preso neste sábado, informou a Polícia Federal.

Jefferson da Silva Lima estava foragido, mas se entregou na delegacia de Atalaia do Norte (AM), no remoto Vale do Javari, na fronteira com Peru e Colômbia.

“O preso será interrogado e encaminhado para audiência de custódia”, afirmou a Polícia Federal em um comunicado.

Um exame médico-legal realizado em restos humanos encontrados na região confirmou neste sábado que eles pertenciam a Pereira. Na sexta-feira, a PF já havia confirmado que outros restos mortais encontrados no local pertenciam a Phillips.

Segundo a PF, ambos morreram por disparo de arma de fogo com munição típica de caça. Pereira levou três tiros, sendo dois no tórax/abdômen e um na cabeça. Phillips levou um tiro na região abdominal e torácica.

Phillips, repórter freelancer que escreveu para os jornais The Guardian e Washington Post, estava pesquisando para um livro durante viagem com Pereira, um ex-coordenador da Funai responsável por povos indígenas isolados e recém contactados.

Eles desapareceram em 5 de junho viajando sozinhos pela região em um barco.

A polícia já havia prendido Amarildo da Costa Oliveira, pescador que confessou ter matado os dois homens, e seu irmão, Oseney da Costa, que foi levado sob custódia no começo da semana.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos