Polícia prende três suspeitos por assalto de bancos em Araçatuba, no interior de SP

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***ARAÇATUBA. 30/8/2021 - Área isolada onde uma agência do Banco Santander foi atacada durante a ação dos bandidos. Criminosos invadem Araçatuba (SP) para assaltar bancos, fazem reféns e deixam três mortos.  (Foto: Clayton Khan/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2108301641096998
***ARQUIVO***ARAÇATUBA. 30/8/2021 - Área isolada onde uma agência do Banco Santander foi atacada durante a ação dos bandidos. Criminosos invadem Araçatuba (SP) para assaltar bancos, fazem reféns e deixam três mortos. (Foto: Clayton Khan/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2108301641096998

ARAÇATUBA, SP (FOLHAPRESS) - A polícia prendeu três suspeitos de envolvimento no mega-assalto que causou pânico e terror na madrugada desta segunda-feira (30) na região central de Araçatuba (a 521 km de São Paulo).

Na ação, uma quadrilha fortemente armada invadiu a cidade, explodiu duas agências bancárias, roubou o dinheiro delas, atirou em uma terceira, fez moradores reféns, disparou bombas e ateou fogo em veículos na fuga.

Ao menos três pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas —três delas em estado grave.

De acordo com a Polícia Militar, entre os três presos estão um homem e uma mulher detidos na própria segunda-feira na cidade. Eles teriam confessado que faziam a função de olheiros para a quadrilha.

O terceiro suspeito de envolvimento foi preso na região de Campinas, segunda à noite. Ele foi encaminhado para Araçatuba e segue detido, de acordo com a PF (Polícia Federal). Os agentes federais apuram os ataques pelo fato de os dois bancos roubados (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) serem ligados à União.

A polícia ainda investiga a possível participação no crime de um homem que deu entrada num hospital de Piracicaba, cidade distante 383 quilômetros de Araçatuba. Ele apresentou ferimentos provocados por armamento pesado.

Os nomes dos detidos não foram divulgados.

Após a ação dos bandidos, o Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) retirou 40 artefatos explosivos espalhados por 20 diferentes pontos do centro da cidade. Pelo menos cinco foram detonados nesta terça em um ponto isolado na zona rural.

Uma nova varredura será feita na região central pela polícia para tentar encontrar mais explosivos. A PM orientou que a população evite passar pelo local até que o trabalho seja concluído.

Os dois moradores de Araçatuba que morreram durante a ação da quadrilha estão sendo velados nesta terça-feira: Renato Bortolucci da Silva, 38, e Marcio Victor Possa da Silva, 34.

Além deles, um integrante da quadrilha, que não teve o nome revelado pela polícia, também morreu.

Os quatro feridos seguem internados na Santa Casa. Um deles, de 25 anos, sofreu amputações nos dois pés depois de uma bomba caseira produzida pelos criminosos explodir.

A vítima confundiu o explosivo com um telefone celular, segundo a assessoria do hospital. O homem, que não teve o nome revelado, passava de bicicleta por uma rua do centro quando viu o objeto na calçada e chegou perto, pensando ser um smartphone. Ao tocar, a bomba explodiu.

Nesta terça, pelo segundo dia, a cidade não tem aulas nas escolas. Segundo a prefeitura, a decisão foi tomada para que as forças de segurança fizessem a varredura à procura de explosivos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos