Polícia procura arma usada por homem que matou PM e morreu após discussão em bar em Nova Iguaçu

·1 minuto de leitura

RIO — A Polícia Civil procura uma pistola usada por Pedro Cabral Ferreira que provocou a sua própria morte e também a do cabo da PM Rafael Vinicius de Oliveira Mello, de 39 anos, após uma discussão entre ambos seguida de tiros, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga a informação de que a arma, não encontrada pelos policiais no local do crime, estaria registrada em nome de Pedro.

Ele, no entanto, não teria autorização de porte de arma. Ou seja, não poderia circular com a pistola em ambientes públicos, como em um bar, onde o tiroteio ocorreu na madrugada deste domingo.

Crianças baleadas: 'Ele vai voltar a brincar na praça. Ele é criança e não pode tirar esse direito dele', diz mãe de um dos meninos baleados em praça de Caxias

Outras duas pessoas ficaram feridas por disparos de armas de fogo, também neste domingo, na Baixada. Duas crianças, uma de 11 e outra de 9, foram baleadas enquanto brincavam na Praça da Assembleia, em Saracuruna, Duque de Caxias. Um dos meninos foi atingido no quadril . O outro levou um tiro de raspão na parte interna da coxa esquerda. Os dois foram encaminhados para o Hospital estadual Adão Pereira Nunes, também em Caxias, e já receberam alta.

Segundo testemunhas, dois homens encapuzados desceram de um carro e começaram a atirar em um homem que estava no local e conseguiu escapar. O tiroteio durou cerca de 10 minutos. Agentes da 60ª DP (Campos Elíseos) buscam por imagens de câmeras de segurança para ajudar a entender os fatos e identificar os autores dos disparos e o alvo da dupla.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos