Polícia do Rio de Janeiro já usa câmaras corporais

Depois de anos de pressão social no Brasil, a polícia do Rio de Janeiro recebeu finalmente câmaras corporais. O equipamento começou a ser distribuído esta segunda-feira. As autoridades regionais seguem o exemplo do que está a ser feito no Estado de São Paulo. Foram compradas 22 mil câmaras. O objetivo, diz o secretário da Polícia Militar do Rio de Janeiro, é proteger.

"Não é para castigar ou vigiar ninguém. O equipamento vem para proteger as tropas, para proteger o nosso trabalho e para proteger a sociedade. Evidentemente, trará mudanças no comportamento dos agentes policiais e da sociedade, mas é um equipamento de protecção," afirma o Coronel Luiz Henrique Marinho Pires.

A polícia brasileira está entre as mais mortíferas do mundo. Em 2021, foi responsável por mais de 6.400 mortes - uma média de 17 por dia. É o número mais alto registado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, uma organização independente.

Ainda na semana passada, numa rusga na favela de Vila Cruzeiro no Riode Janeiro, 20 residentes foram mortos desencadeando uma nova vaga de contestação sobre a atuação da polícia nas comunidade marginalizadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos