Polícia do RJ prende 2 mulheres suspeitas de monitorar com câmeras ações do Bope

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira (21) duas mulheres sob suspeita de monitorarem, a pedido de criminosos, ações de duas unidades de elite da Polícia Militar, entre as quais o Bope (Batalhão de Operações Especiais).

De acordo com a 21ª DP (Bonsucesso), responsável pela apuração, elas chegaram a alugar um imóvel vizinho à sede do Bope, em Laranjeiras (zona sul), onde foi instalada uma câmera para monitorar a saída de viaturas.

A investigação foi iniciada após agentes do Bope perceberem, na terça, que estavam sendo perseguidos quando se dirigiam para a Coordenadoria de Operações Especiais, em Ramos (zona norte).

"Mesmo tendo desviado o percurso diversas vezes, estavam sempre sendo acompanhados pelo outro carro. Após abordarem o veículo, onde estavam as mulheres, os policiais militares constataram que havia diversos aparelhos de telefone celular. Com o equipamento, elas repassavam informações em tempo real acerca da localização e de cada passo dos agentes", afirmou a Polícia Civil, em nota.

As duas foram presas em flagrante. A polícia descobriu a existência do imóvel em Laranjeiras e, no local, afirma ter encontrado uma câmera direcionada para a sede do Bope. De acordo com os agentes, um aparelho que fazia a gravação das imagens foi retirado do local.

Os agentes também descobriram outro imóvel alugado por uma das mulheres em frente à sede do Batalhão de Choque, no centro da cidade. Este local também contava com uma câmera.

A polícia agora investiga a mando de quem as mulheres faziam o monitoramento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos