Polícia Rodoviária diz ter iniciado a liberação de estradas bloqueadas por bolsonaristas

A Polícia Rodoviária Federal divulgou nota afirmando já estar em ação para desobstruir os pontos de estradas pelo país, bloqueados por bolsonaristas. Os grupos de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, entre eles caminhoneiros, iniciaram, ainda na madrugada de segunda-feira, os protestos ilegais por não se conformarem com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição presidencial de domingo.

Ainda na segunda-feira, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, determinou que a PRF e as polícias militares dos estados desobstruíssem imediatamente as rodovias ocupadas ilegalmente. Na madrugada desta terça-feira, o plenário do STF formou maioria em apoio à decisão de Moraes.

O balanço mais recente da PRF dá conta de que há interdições em ao menos 136 estradas do país. Segundo o portal de notícias G1, a Polícia Rodoviária começou a desobstruir, desde a meia-noite de hoje, as rodovias no Espírito Santo, onde há mais de 10 pontos de bloqueio ilegal.

O coordenador-geral de comunicação da PRF, Cristiano Vasconcellos, também afirmou, ao jornal Folha de São Paulo, que a corporação trabalha para liberar todas as rodovias do país ainda nesta terça-feira. Segundo ele, nunca houve a determinação para não desbloquear as estradas.

Sobre vídeos mostrando policiais rodoviários agindo em consonância com os manifestantes e até afirmando que não vão aplicar multas, Vasconcellos argumentou que o contingente de policiais nos pontos de bloqueio é pequeno e, por isso, os agentes estão apenas conversando com os bolsonaristas.

A decisão do ministro Alexandre de Moraes, corroborada pelo plenário do STF, prevê multa de R$ 100 mil por hora, a partir da meia-noite desta terça, em caso de desobediência da ordem, inclusive omissão e inércia da corporação. Moraes tambem determinou o afastamento e a prisão em flagrante do diretor-geral da PRF, Silvinei Vasques, pelo crime de desobediência, se as ordens não forem cumpridas.

Noite desta segunda-feira, o ministro da Justiça afirmou ter determinado que "todas as ações possíveis para normalização do fluxo nas rodovias".