Polícia Rodoviária Federal trava bloqueios e multa camionistas pró-Bolsonaro

Polícia Rodoviária Federal trava bloqueios e multa camionistas pró-Bolsonaro

Os bloqueios de estradas por camionistas em apoio de Jair Bolsonaro, presidente candidato, derrotado nas eleições de domingo, começaram a ser levantados após a intervenção da Polícia Rodoviária Federal (PRF), após ordem do Supremo Tribunal Federal emitida terça-feira.

Desde segunda-feira, poucas horas após o anúncio da vitória de Lula da Silva nas presidenciais, mais de 450 protestos com bloqueios de estradas ocorreram em 23 estados do Brasil, estima o portal G1, da Globo.

Esta quarta-feira de manhã, início do terceiro dia após as eleições, ainda havia 190 protestos em 13 estados, mas o número de bloqueios continuava a diminuir rapidamente, havendo 156 bloqueios pelas 10h30 (13h30, em Lisboa).

A PRF informou que cerca de 2 mil motoristas foram multados, entre segunda e quarta-feira. O total das multas rondava os 18 milhões de reais (mais de 3,5 milhões de euros).

Logo na segunda-feira, a Confederação brasileira dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL) demarcou-se dos protestos, considerando os bloqueios de estradas pelos camionistas como uma "ação antidemocrática".

O próprio Jair Bolsonaro, no curto discurso da não concessão da vitória a Lula da Silva, criticou os bloqueios numa declaração em que não evitou "cutucar" a oposição.

"As manifestações pacíficas sempre serão bem-vindas, mas os nossos métodos não podem ser os da esquerda, que sempre prejudicaram a população, como invasão de propriedades, destruição de património e cerceamento do direito de ir e vir", disse o presidente candidato derrotado no domingo.