Polícia de SP investiga interferência de facção criminosa paulista nas eleições

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — A Polícia de São Paulo está investigando a possível influência da facção paulista que atua dentro e fora dos presídios na eleição deste ano. De acordo com relatos, candidatos em cidades do estado estariam sendo ameaçados por criminosos.

A informação sobre a abertura do inquérito foi revelada pelo "O Estado de S. Paulo" e confirmada pelo GLOBO. A investigação ocorre no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

A investigação foi iniciada após políticos e líderes comunitários relatarem ameaças de criminosos para que não fizessem campanha em determinadas regiões da Baixada Santista, como Praia Grande e Santos, e em Campinas.

No Rio, segundo relatório elaborado pelo Disque Denúncia a pedido do GLOBO, 14 cidades do Rio de Janeiro têm denúncias de infiltrações de milicianos e traficantes no processo eleitoral.

A maior parte das denúncias relata atuação de milicianos para interferir no pleito, 24 ao todo. Outras 13 apontam a influência do tráfico. Em cinco municípios, foram registradas denúncias tanto de traficantes quanto de paramilitares direcionando votos e impedindo a presença de candidatos: Rio, Itaguaí, Duque de Caxias, Belford Roxo e Niterói.

Em São Paulo, segundo informações, as investigações ainda não avançaram para confirmar se existe, de fato, alguma iniciativa organizada da facção para interferir nas eleições ou se são apenas interesses locais.