Polícia sul-coreana descobre que autor de acusações falsas contra Woojin é do Brasil

Louise Queiroga
·1 minuto de leitura

O cantor sul-coreano Woojin se pronunciou pela primeira vez sobre o impacto que as acusações falsas de assédio sexual publicadas na internet em 2019, inventadas por um cidadão brasileiro, tiveram sobre ele.

Numa transmissão ao vivo no Instagram, o ex-membro do Stray Kids disse que o caso lhe mostrou o quanto e difícil esclarecer que algo não é verdade. Afinal, uma investigação da Agência de Polícia Metropolitana de Seul verificou que, no final das contas, as postagens anônimas no Twitter foram feitas por anti-fã de Woojin que mora no Brasil e usou imagens de outra pessoa como se fossem do cantor.

"É verdade que foi muito difícil quando fui prejudicado pela primeira vez pelos rumores", disse o artista na live do dia 18 de março, segundo o portal coreano "Topstar News". "Aprendi que não é fácil esclarecer algo que não é verdade. Espero que ninguém seja mais prejudicado por comentaristas maliciosos".

A saída de Woojin do grupo Stray Kids foi anunciada em outubro de 2019, após ele rescindir seu contrato com com a JYP Entertainment por "motivos pessoais".

Em setembro de 2020, repercutiram na web as alegações falsas de que ele havia assediado mulheres num bar. À epoca, a agência 10x Entertainment, responsável por sua carreira, negou as acusações, mostrando provas de que o artista estava em casa no momento indicado nas postagens. Embora o conteúdo dos posts fosse falso, o simples fato de terem viralizado contribuiu para levantar dúvidas sobre o caráter do cantor em uma série de publicações de internautas internacionais.

Em breve, Woojin deve fazer sua estreia solo oficial. Enquanto ele se prepara, divulga seu podcast "WooAlog" no Spotify.