Polícia trabalha com hipótese de participação do filho no assassinato de casal de PMs



Na condução das investigações do assassinato do casal de policiais militares Luis Marcelo Pesseghini e Andreia Regina Bovo e seu filho, Marcel Eduardo Bovo Pesseghini, mortos a tiros na última segunda-feira (5), a polícia trabalha com a hipótese de que a criança de 12 anos teve participação na chacina.

Leia mais
Policiais envolvidos no massacre do Carandiru são condenados a até 624 anos


Segundo o comandante da Polícia Militar de São Paulo, coronel Benedito Roberto Meira, em entrevista à rádio CBN, há indícios de assassinato seguido de suicídio.

"Pelo que foi encontrado no local, não tem nenhum objeto revirado. O armamento foi o mesmo em todas as mortes e não tinha sinal de arrombamento. Porém nada impede que outras versões possam acontecer", afirmou em entrevista à rádio.

Luis Marcelo fazia parte da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), a tropa de elite da polícia paulista, e teve sua ausência notada por colegas, que foram até a casa do casal, na Brasilândia, zona norte de São Paulo, onde encontraram a família e outros dois parentes não identificados mortos.