Polícia vai a dois endereços e faz novas buscas por meninos desaparecidos há onze dias em Belford Roxo

Vera Araújo
·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Civil realiza novas buscas, na tarde desta terça-feira, pelo paradeiro dos meninos Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10 e Fernando Henrique de 11, desaparecidos há onze dias. Por volta das 16h, quando parentes e moradores do bairro Castelar, em Belford Roxo, ainda protestavam na frente da delegacia em busca de respostas para o sumiço das crianças, dezenas de policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense deixaram a especializada em viaturas, rumo a duas casas ligadas a um suspeito de ligação com o crime, em localidade conhecida como Hiterland, no mesmo município.

De acordo com primeiras informações, a DHBF recebeu das mãos da família das crianças desaparecidas um áudio de um informante dando uma localização de onde estariam os garotos. No primeiro endereço, já visitado, nada foi encontrado. Investigadores realizam agora buscas numa segunda residência, onde são feitas, inclusive, escavações.

Na ação, estão mobilizados cerca de 20 policiais fortemente armados, pois a área, considerada de risco, é dominada pelo tráfico de drogas. Dois tios dos garotos desaparecidos estão ajudando a polícia, porque conhecem bem a região. A família desde o início tem estado ativa auxiliando nas investigações, por conhecer muitas pessoas na área, e pelo fato de a história ter comovido toda a comunidade.

Drama já dura onze dias

Lucas, Alexandre e Fernando saíram de casa por volta de 10h30, do último dia 27 de dezembro, para brincar em um campo de futebol próximo do condomínio onde moram no bairro Castelar, em Belford Roxo. Eles não retornaram para casa às 14h, como era de costume. A família, então, iniciou buscas por diversos bairros, hospitais, IMLs e delegacias, sem sucesso.

Nas buscas incessantes pelo paradeiro dos meninos, nos últimos onze dias, os parentes chegaram a se envolver num acidente de carro, quando o veículo onde estavam capotou na Rodovia Presidente Dutra após um dos pneus furar. A avó e um tio das crianças saíram de casa para checar a informação de que elas estariam em uma sorveteria de Nova Iguaçu, o que não se confirmou. Eles tiveram ferimentos leves.

Nesta terça, familiares dos meninos passaram mais de 12 horas na frente da DHBF. Eles levaram à força para a delgacia um homem acusado por eles de participação no sumiço das crianças. A polícia, no entanto, negou que ele tivesse envolvimento com o crime. Revoltado, um grupo incendiou um ônibus no local.