Político indiano provoca polêmica ao afirmar que anúncios de preservativos incitam estupro

A ex-atriz pornô Sunny Leone

Atul Kumar Anjan, secretário nacional do Partido Comunista indiano, provocou polêmica ao afirmar que os anúncios de preservativos incitam o estupro porque "desenvolvem a sexualidade e arruínam a sensibilidade".

"Caso anúncios como estes sejam exibidos na televisão indiana e nos jornais, aumentarão os estupros", disse Anjan, em referência a um anúncio de camisinha protagonizado pela ex-atriz pornô indiana-canadense Sunny Leone, que agora é uma estrela de Bollywood.

"Temos que impedir", completou na terça-feira em um comício no estado de Uttar Pradesh, norte da Índia.

Os grupos feministas criticaram o discurso, assim como os internautas nas redes sociais.

"Camarada: a causa dos estupros é arrogância dos homens e sua falta de respeito pelo consentimento e autonomia das mulheres, não a consequência da pornografia, das mulheres nuas ou de qualquer outra 'provocação'", escreveu no Facebook a ativista feminista Kavita Krishnan.

As declarações do político do Partido Comunista, minoritário na Índia, são similares a de outros líderes políticos do país, que minimizaram publicamente a violência sexual contra as mulheres.

Em dezembro de 2012, o estupro coletivo de uma estudante em um ônibus de Nova Délhi provocou uma grande comoção no país e levou o governo a adotar uma legislação mais rígida contra as agressões sexuais.