Polônia reabrirá creches, hotéis, museus e centros comerciais

·1 minuto de leitura
Ativistas do Greenpeace seguram cartazes que dizem "Normal era uma Crise" em protesto à retomada de atividades na Polônia, em frente ao escritório do primeiro-ministro polonês em Warsaw
Ativistas do Greenpeace seguram cartazes que dizem "Normal era uma Crise" em protesto à retomada de atividades na Polônia, em frente ao escritório do primeiro-ministro polonês em Warsaw

O primeiro-ministro polonês anunciou nesta quarta-feira (29) a reabertura de creches, hotéis e centros comerciais na próxima semana para retomar a economia paralisada pelo coronavírus, ao mesmo tempo em que pediu aos poloneses para manter "a disciplina social".

Mateusz Morawiecki anunciou a abertura, a partir de 4 de maio, de hotéis, centros comerciais, parte das instituições culturais - incluindo alguns museus - assim como, a partir de 6 de maio, de creches e jardins de infância.

As clínicas de fisioterapia também abrirão suas portas na próxima semana.

Outras medidas de segurança, como o uso de máscaras, continuam obrigatórias, destacou o primeiro-ministro.

Nas lojas, que atualmente estão abertas, é permitido apenas uma pessoa por cada 15 metros quadrados.

O saldo da pandemia na Polônia aumentou na manhã desta quarta-feira para 12.415 pessoas infectadas pelo coronavírus, das quais 606 morreram.

Nas últimas 24 horas, 326 pessoas foram infectadas na Polônia, segundo os dados do ministério da Saúde, enquanto outras 370 se curaram do vírus.

O primeiro-ministro também destacou que as eleições presidenciais, em uma cédula por correspondência, devem acontecer em maio, apesar dos múltiplos protestos e incertezas legais e técnicas.