Polônia sinaliza intenção de enviar tanques Leopard para Ucrânia

Tanques poloneses Leopard 2PL durante exercício militar em Bemowo Piskie, na Polônia

Por Pawel Florkiewicz

VARSÓVIA/KIEV (Reuters) - O primeiro-ministro da Polônia disse nesta segunda-feira que seu governo pedirá permissão à Alemanha para enviar tanques Leopard para a Ucrânia, e planeja enviá-los quer Berlim concorde ou não.

A ministra das Relações Exteriores da Alemanha declarou no domingo que Berlim não ficaria no caminho se a Polônia quisesse fazer isso.

A questão de fornecer os tanques Leopard 2 de fabricação alemã para a Ucrânia dominou as discussões recentes entre os aliados ocidentais sobre quanto e que tipo de ajuda material eles devem dar à Ucrânia com a aproximação do primeiro aniversário da invasão russa.

Acredita-se que os dois lados estejam planejando ofensivas de primavera para quebrar o impasse no que se tornou uma guerra de desgaste no leste e no sul da Ucrânia.

A luta atual está centrada na cidade de Bakhmut, no leste, onde os mercenários do grupo Wagner, da Rússia, e as forças ucranianas estão travando uma batalha. A Rússia disse no domingo que suas forças estavam melhorando suas posições na região de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia.

Enquanto isso, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, enfrentava um escândalo de corrupção que poderia diminuir o entusiasmo ocidental por seu governo.

Um jornal noticiou que os militares supostamente garantiram alimentos a preços altamente inflacionados, e um vice-ministro renunciou após uma investigação sobre alegações de que ele aceitou suborno.

LEOPARDS

Autoridades ucranianas vêm pedindo há meses aos aliados ocidentais que forneçam tanques Leopard, mas a Alemanha se absteve de enviá-los ou permitir que outros países da aliança militar ocidental Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) os reexportem. Os Leopards, mantidos por vários países da Otan, são vistos por especialistas em defesa como os mais adequados para a Ucrânia.

O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, disse que Varsóvia pediria permissão à Alemanha para reexportar tanques para a Ucrânia, mas que esta é uma questão de importância secundária.

"Mesmo que não conseguíssemos essa aprovação... ainda assim transferiríamos nossos tanques junto com outros para a Ucrânia", afirmou ele a repórteres. "A condição para nós no momento é construir pelo menos uma pequena coalizão de países."

Os aliados ocidentais prometeram bilhões de dólares em armas para a Ucrânia na semana passada, mas não conseguiram persuadir a Alemanha a suspender seu veto ao fornecimento dos tanques.

Mas, em uma aparente mudança na posição da Alemanha, a ministra das Relações Exteriores, Annalena Baerbock, disse no domingo que seu governo não bloquearia a Polônia se ela tentasse enviar seus Leopards.