Polacos respiram de alívio com declaração de "incidente"

A rotina foi lentamente retomada esta quarta-feira em Przewodów, um dia depois da aldeia polaca ter sido atingida por um projétil que deu corpo aos medos da guerra e matou duas pessoas. Depois de horas de tensão, o episódio foi classificado como um "incidente" tanto pelas autoridades polacas como pela NATO.

Przewodów fica a menos de 10 quliómetros da fronteira entre a Polónia e a Ucrânia. Há uma investigação em curso, mas tudo indica que tenha sido um projétil das defesas anti-aéreas ucranianas.

O presidente polaco dissipou dúvidas esta quarta-feira quanto à ameaça. "Não há absolutamente qualquer indicação de que se tratou de um ataque direto à Polónia. O facto do território polaco ter sido atingido por um projétil não resultou de atividade intencional. A Polónia não era um alvo, portanto, de facto, a Polónia não foi atacada," afirmou Andrzej Duda.

Rússia elogia "contenção" dos EUA

Moscovo recusou de imediato ter algo a ver com o míssil que caiu na polónia e, num gesto raro, elogiou a prudência demonstrada pelos Estados Unidos neste episódio.

"Gostaria de vos convidar uma vez mais a tomar atenção à reacção contida dos Estados Unidos, que contrasta com uma reação absolutamente histérica do lado polaco e de vários outros países. Porque é que isso aconteceu? Devem dirigir esta pergunta a Varsóvia," disse Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo numa conferência de imprensa esta quarta-feira.

Os aliados dizem que não há indicação de intencionalidade, mas culpam a Rússia por qualquer dano colateral da guerra.