Polêmica! Aline Barros é acusada de demitir funcionária por conta de homossexualidade

Cantora gospel está sendo processada por antiga backing vocal (Reprodução/TV Globo)

Aline Barros, 41, a mais poderosa cantora gospel do país, se envolveu em uma polêmica daquelas! Uma antiga backing vocal da famosa, Rejane Silva de Magalhães, decidiu processá-la e está pedindo R$ 1 milhão na Justiça.

De acordo com informações do jornal “O Dia”, o motivo da ação seria que a empresa da artista, a Aline Barros Produções Artísticas, teria a demitido por ela ser gay .Contratada em 2005, a profissional se apresentou com Aline até o ano de 2015. No processo que conta com mais de 300 páginas, a ex-funcionária da cantora evangélica pediu declaração de vínculo empregatício, uma vez que a mesma não possuía carteira assinada, além de outros encargos, horas extras, adicional noturno, décimo terceiro salário e férias.

Leia mais:
Aos 82 anos, Carlos Alberto de Nóbrega revela que já foi em praia de nudismo
Fernanda Gentil revela se trocaria namorada por Sandy

Procurada, Aline Barros não se manifestou. Em recente participação no programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, a artista gospel falou que desaprova a conduta dos gays. “Eu respeito, amo. Cada um tem seu livre arbítrio para fazer suas escolhas. Mas não concordo com a postura e a prática dos homossexuais”, declarou ela na ocasião.