Polícia agride torcedores ajoelhados do Náutico

Um vídeo publicado nas redes sociais mostrou uma abordagem da Polícia Militar do Estado de Alagoas a torcedores do Náutico, no Estádio Rei Pelé, onde os adeptos do Timbu foram colocados de joelhos, virados de costas para os oficiais militares, e receberam golpes de cassetetes, chutes e joelhadas sem que houvesse um conflito direto entre ambos os lados.

A torcida do Náutico foi retirada das arquibancadas do Estádio Rei Pelé por causa de uma briga generalizada contra os seguranças particulares do palco esportivo. A briga se deu, de acordo com informações publicadas por meios de comunicação de Pernambuco e também de Alagoas, porque torcedores do Náutico chegaram atrasados para a partida contra o CSA e encontraram os portões destinados aos visitantes fechados. Desta maneira, quebraram os cadeados e invadiram o setor destinado a eles, mas de forma ilegal.

Leia também:

Na partida disputada pelo primeiro turno, disputada no Estádio dos Aflitos, também houve conflito envolvendo as torcidas dos dois clubes. Membros de uma organizada do CSA, que não entraram no estádio, arremessaram pedras do lado de fora para dentro dos Aflitos, atingindo torcedores 'comuns' e ferindo alguns deles. Momentos antes deste acontecimento, um torcedor do CSA havia sido atingido por uma bomba caseira e foi levado ao hospital. A torcida do clube alagoano, em Pernambuco, tem aliança firmada com a torcida do Santa Cruz, um dos rivais locais do Náutico.

A partida da última terça-feira era um confronto direto entre os clubes que lutam contra o rebaixamento para a Série C do Campeonato Brasileiro. Com a vitória por 1 a 0, o CSA subiu para a 14ª colocação e afundou o Náutico na lanterna da competição.