Polícia apreende barras de ferro e madeira com torcidas de Fla e Bota

Batalhão da Polícia Militar evitou confrontos entre torcidas e deteve barras de ferro e de madeira. Foto: (Divulgação/PMERJ)
Batalhão da Polícia Militar evitou confrontos entre torcidas e deteve barras de ferro e de madeira. Foto: (Divulgação/PMERJ)

Prevendo conflitos entre as torcidas de Flamengo e Botafogo, a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro atuou nos arredores do Estádio Nilton Santos para evitar que as torcidas se encontrassem e brigassem nas ruas do bairro da casa do Botafogo.

Diversos objetos, que podem ser usados como armas, foram apreendidos com ambas as torcidas, mas os flamenguistas, de acordo com o BEPE (Batalhão Espacial de Policiamento em Estádios), divisão da PMERJ que cuida da segurança em partidas de futebol, eram os torcedores que mais empunhavam as barras de ferro e de madeira. Um curioso instrumento, inclusive, viralizou nas redes sociais por ser semelhante à peça utilizada no seriado The Walking Dead. Um taco de beisebol, com arame farpado amarrado em seu topo, estava com os torcedores.

Leia também:

Hilmar Faulhaber, tenente-coronel do BEPE, relatou casos de interceptação de encontro de torcedores por parte da PMERJ e seu serviço de inteligência: "Nosso serviço de inteligência observou pelas redes sociais um chamamento por por parte de duas torcidas organizadas do Flamengo que encontram-se punidas judicialmente com afastamento dos estádio por atos de violência. Em total afronta ao poder público, os mesmos (cerca de 500 pessoas) se deslocaram até as proximidades do estádio. Todos sem ingressos. O acesso destes resultaria ou na invasão do estádio ou reviveriam aquele triste episódio de 19/fev/2017, chamado por eles de "volta olímpica", ocasião em que as torcidas do Flamengo conseguiram acessar o setor externo destinado a torcida do Botafogo vindo retirar a vida de um torcedor com espeto de churrasco".

Nenhum torcedor das torcidas organizadas foi preso e os instrumentos de batalha foram apreendidos na rua, por terem sido arremessados ao chão quando a polícia chegou.