Polícia conclui que empresário matou filho, esposa, sogra e mãe antes de suicídio

Empresário matou a família em condomínio de Porto Alegre - Foto: Reprodução/TV RBS
Empresário matou a família em condomínio de Porto Alegre - Foto: Reprodução/TV RBS
  • Polícia comprovou que empresário matou toda a família antes de se suicidar em Porto Alegre

  • O criminoso atirou contra o filho, a mãe, a sogra e a esposa na própria residência

  • Não se sabe ao certo o motivo que o levou a cometer o crime

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul concluiu e deve enviar ainda nesta sexta-feira (24) o inquérito referente à chacina de uma família há dois meses, em um condomínio na zona sul de Porto Alegre. As informações são do G1.

A investigação concluiu que o empresário Octávio Driemeyer Júnior, de 44 anos, matou quatro pessoas da família antes de cometer suicídio na residência onde vivia, no dia 27 de abril.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Pohlmann Garcia, as evidências comprovaram que Octávio assassinou a tiros o filho, de 14 anos, a esposa, de 45, a sogra, 81, e a mãe, 79, antes de atirar contra si próprio.

Como o responsável pelas mortes também não está mais vivo, o “provavelmente o Ministério Público deverá pedir o arquivamento do feito, a não ser que entenda necessário a realização de novas diligências".

Ao contrário do que acreditava-se inicialmente, porém, o assassino não dopou as vítimas. Todas elas estavam dormindo em razão do horário dos crimes, às 7 horas.

“Apenas uma das vítimas, a sogra, em razão de uma lesão de defesa em uma das mãos, se acredita que ela tenha acordado quando do disparo efetuado na mãe, que dormia ao lado da sogra", relatou Rodrigo. "Tudo aconteceu muito rápido. Embora o som seja bastante alto, tudo aconteceu rápido, os quartos são próximos.”

O delegado explicou, ainda, que não foi encontrado nenhum bilhete ou carta que esclarecesse a motivação. A polícia acredita que uma série de fatores pode ter influenciado Octávio, como uma crise financeira e a morte recente do sogro.

Relembre o crime

Na manhã de 27 de abril, Octávio atirou contra a cabeça da esposa. Depois, foi para o quarto onde estavam a mãe e a sogra, antes de matar o próprio filho, todos da mesma forma.

O empresário, então, disparou contra si próprio.

A polícia encontrou os corpos em seus respectivos quartos, deitados nas camas. Apenas a sogra tinha marcas na mão, o que demonstra que ela tentou lutar com o genro.

Uma sexta moradora da casa, que vivia no andar de baixo, ouviu os barulhos dos tiros e conseguiu escapar com vida.

Na residência, a polícia encontrou duas espingardas calibre 12, que estavam registradas no nome do sogro de Octávio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos