Polícia encontra ossada onde homem teria deixado corpos dos meninos desaparecidos de Belford Roxo

·4 minuto de leitura
Na quinta-feira (29), um homem se apresentou à polícia acusando o próprio irmão de ter participado da ocultação dos corpos (Foto: Reprodução/ TV Globo)
Na quinta-feira (29), um homem se apresentou à polícia acusando o próprio irmão de ter participado da ocultação dos corpos (Foto: Reprodução/ TV Globo)
  • Polícia encontra ossada onde homem teria deixado corpos dos meninos desaparecidos de Belford Roxo

  • Um homem se apresentou à polícia acusando o irmão de ter participado da ocultação dos corpos, dizendo que ele teria levado um saco preto até um lugar chamado de Ponto do Ferro 38

  • A polícia, no entanto, não descarta a possibilidade de que seja uma ossada animal, devido ao estado avançado de decomposição

Os policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) encontraram, nesta sexta-feira (30), uma ossada no local onde supostamente um homem teria deixado sacos com os corpos dos três meninos desaparecidos de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. 

Os caso, que segue sem solução há sete meses, teve uma nova pista nesta semana. Na quinta-feira (29), um homem se apresentou à polícia acusando o próprio irmão de ter participado da ocultação dos corpos, dizendo que ele teria levado um saco preto até um lugar chamado de Ponto do Ferro 38.

Leia também

Enquanto fazia buscas em uma área próxima ao local da pista dada pelo homem, nesta sexta-feira, os policias encontraram a ossada. Segundo informações do G1, os ossos achados se assemelham a costelas e estariam dentro de um saco preto.

Segundo fontes da Polícia Técnico-Científica, a ossada será levada para o setor de antropologia do Instituto Médico Legal (IML). Na perícia, o material deve demorar pelo menos sete dias para ser analisado. 

Foram encontrados fios de cabelo que também serão analisados. A polícia, no entanto, não descarta a possibilidade de que seja uma ossada animal, devido ao estado avançado de decomposição, segundo o G1.

Lucas Matheus, de 9 anos, e Alexandre Silva, 11, e Fernando Henrique, 12, sumiram no dia 27 de dezembro depois que saíram para brincar.

Enquanto fazia buscas em uma área próxima ao local da pista dada pelo homem, nesta sexta-feira, os policias encontraram a ossada (Foto: Reprodução/ TV Globo)
Enquanto fazia buscas em uma área próxima ao local da pista dada pelo homem, nesta sexta-feira, os policias encontraram a ossada (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Homem acusa próprio irmão de ocultar corpos de meninos 

Desde o desaparecimento dos meninos de Belford Roxo, os agentes das policias já trabalharam com várias linhas de investigação. Entre elas, a de que as crianças tenham sido vítimas de traficantes da região. 

Nesta quinta-feira (29), um homem se apresentou à Polícia Militar e acusou o irmão de ter participado da ocultação dos corpos dos três meninos, que teria mandado espancar e matar as crianças

Depois, o irmão teria levado os corpos até um lugar chamado de Ponto do Ferro 38, por onde passa um rio que corta a cidade da Baixada. Segundo a denúncia, um saco com corpos teria sido jogado de uma ponte, que fica acima de um rio que corta o município.

Famílias reclamam do descaso da polícia 

Há sete meses, as investigações patinam. As famílias dos meninos reclamam de descaso da polícia. Logo após o desaparecimento, as mães ouviram de agentes que só poderiam registrar o sumiço 24 horas depois, sendo que o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê buscas imediatas. Hoje, elas dizem estar às escuras, sem o repasse das pistas.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense montou uma força-tarefa junto com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros da capital para reforçar as buscas pelos três.

Polícia investiga desaparecimento de Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10 anos, e Fernando Henrique, de 11 anos (Foto: Reprodução)
Polícia investiga desaparecimento de Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10 anos, e Fernando Henrique, de 11 anos (Foto: Reprodução)

A polícia diz que já fez mais de 80 diligências, além de buscas em diversos bairros do Rio e de cidades da Baixada, onde imagens foram coletadas e apresentadas às famílias. Também afirma que começou a apuração imediatamente após a comunicação do desaparecimento, com o registro da ocorrência e um primeiro depoimento formal.

O delegado do caso, Uriel Alcântara Machado, no entanto, já admitiu dificuldade para investigar o desaparecimento. Isso porque a área onde as crianças moravam é controlada por traficantes, e qualquer tentativa de entrar lá exige "planejamento operacional".

A principal teoria, inclusive, continua sendo a de que os meninos teriam sido pegos pelo tráfico local. Mas o sumiço teria acontecido de forma "muito discreta", segundo Machado, e faltam elementos que contribuam com a apuração.

A Baixada Fluminense tem um problema crônico de desaparecimentos, com cerca de 15 registros diários. A taxa foi de 32 casos a cada 100 mil habitantes na região em 2020, contra 28 no estado todo.

O sumiço dos meninos de Belford Roxo acelerou a publicação de um decreto pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em fevereiro, que regulamenta a Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos