Polícia Federal realiza operação em SP e MG

Newton Menezes/Futura Press

A Polícia Federal e a Receita Federal trabalham desde o início da manhã desta quarta-feira, 1, em uma operação de desdobramento da Lava Jato. Acontecendo ao mesmo tempo em São Paulo e Minas Gerais, a Operação Descarte quer desarticular um esquema de lavagem de dinheiro e desvio de verbas que inclui as prefeituras municipais e empresas responsáveis pela limpeza urbana.

A investigação aconteceu a partir de informações reveladas pelo doleiro Alberto Youssef em sua delação, que indicam que a empresa de limpeza do município de São Paulo foi a maior cliente a utilizar o esquema, simulando a compra de detergentes, sacos de lixo e outros materiais entre 2012 e 2017.

“As empresas participantes do esquema simulavam a venda de mercadorias ao cliente do ‘serviço’ de lavagem, que então pagava por produtos inexistentes via transferências bancárias ou boletos (para dar aparência de legalidade à aquisição)”, detalha o órgão.

As quantias recebidas eram transferidas para diversas outras empresas de fachada, que remetiam os valores para o exterior ou faziam transferências para pessoas ligadas ao cliente inicial”, detalha a polícia. Durante o esquema foram emitidas notas fiscais que ultrapassam  R$ 900 milhões. Os repasses a terceiros somaram mais de R$ 120 milhões. A Receita indica que o grupo também comprou diversos carros de luxo, como Ferraris e BMWs

Busca e apreensão

A Polícia Federal cumpre 15 mandados de busca e apreensão em casas e empresas em São Paulo, Santos, Paulínia, Belo Horizonte e Laminável.