Polícia Federal investiga suposta invasão de terra indígena no Pará

Polícia Federal esteva em São Félix do Xingu, no Pará, para apurar invasão de aldeias indígenas (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
Polícia Federal esteva em São Felix do Xingu, no Pará, para apurar invasão de aldeias indígenas (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

Resumo da notícia

  • Polícia Federal fez incursão em São Felix do Xingu para averiguar invasão de terras indígenas

  • Corporação recebeu denúncias de ameaças feitas por garimpeiros contra indígenas

  • PF averiguou que pessoas não identificadas entrada nas aldeias e levaram cabeças de gado

A Polícia Federal, o Ibama e a Funai realizaram uma ação nesta quarta-feira (18) para investigar uma suposta invasão em duas aldeias indígenas, na Terra Indígena Apyterewa, do povo Parakanã, em São Felix do Xingu, no estado do Pará.

A incursão foi feita com o objetivo de averiguar denúncias, feitas por indígenas das aldeias Ka’aeté e Tekatawa. Os moradores do local informaram à PF que estavam sendo ameaçados por grileiros e fazendeiros que vivem na região.

Durante a operação, em um sobrevoo pela área, a Polícia Federal constatou que pessoas foram a cavalo para a aldeia Ka’aeté e levaram cerca de 100 cabeças de gado, que depois foram deixadas em áreas desmatadas. Os responsáveis ainda não foram identificados.

“A Polícia Federal vem agindo prontamente nas investigações, sempre preservando os direitos dos povos indígenas e coibindo crimes que possam ocorrer em suas terras, reforçando o cumprimento do seu papel constitucional de Polícia Judiciária da União e trabalhando incessantemente na repressão aos crimes de sua atribuição”, informou a instituição.

As aldeias inspecionadas ficam em locais onde não é possível chegar em veículos. Em outra aldeia próxima, indígenas afirmaram que não foram ameaçados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos