Polícia Federal monitora ataques de estrategista de Trump à democracia brasileira

·2 minuto de leitura
Steve Bannon vem ajudando a propagar informações falsas sobre a democracia brasileira - Foto: Reuters/Kevin Lamarque
Steve Bannon vem ajudando a propagar informações falsas sobre a democracia brasileira - Foto: Reuters/Kevin Lamarque
  • Estrategista de Trump, Steve Bannon tem se aproximado cada vez mais da família Bolsonaro

  • Ele vem ajudando a propagar informações falsas sobre a democracia brasileira

  • Em evento nos Estados Unidos, acompanhou Eduardo Bolsonaro e atacou Lula e a imprensa

A Polícia Federal está monitorando os constantes ataques de Steve Bannon, estrategista do ex-presidente norte-americano Donald Trump, à urna eletrônica e à democracia brasileira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Após a saída de Trump da presidência dos Estados Unidos, Bannon aproximou-se da família Bolsonaro e tem entoado as fake news do chefe do Executivo brasileiro sobre o sistema eleitoral do país.

Leia também:

A PF já alertou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que a rede bolsonarista vem utilizando-se dos mesmos métodos de desinformação aplicados por Trump ao longo de sua campanha nos EUA. Bannon estaria por trás desta estratégia.

O ideólogo de Trump tem se mostrado especialmente interessado na eleição presidencial do Brasil em 2022. No último dia 12, ele inclusive acompanhou o filho de Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo, em um evento conservador no estado de Dakota do Sul.

Bannon é considerado o estrategista de Trump - Foto: Reuters/Carlos Barria
Bannon é considerado o estrategista de Trump - Foto: Reuters/Carlos Barria

Na ocasião, Bannon afirmou que a disputa do ano que vem será “a segunda mais importante do mundo e a mais importante eleição da história da América do Sul” e entoou as acusações sem provas de Bolsonaro sobre supostas fraudes nas urnas eletrônicas.

“Bolsonaro vai vencer, a não ser que seja roubado, adivinhem pelo que? Pelas máquinas”, declarou. “E eles vão tentar roubar todas as eleições possíveis. Porque eles não têm o apoio do povo, eles não conseguem vencer eleições livres e limpas. Eles não conseguem ganhar eleições com voto em cédulas de papel.”

Ataques a Lula

O estrategista também fez ataques à imprensa e ao provável maior rival de Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva, que aparece como líder das intenções de voto nas pesquisas nas pesquisas eleitorais.

“Em outubro de 2022, uns 30 dias antes desta monumental eleição para o Congresso dos EUA, ele [Eduardo] e seu pai, Jair Bolsonaro, vão encarar o esquerdista mais perigoso do mundo, Lula. Um criminoso, comunista e apoiado por toda a mídia aqui nos EUA, toda a mídia esquerdista.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos