Polícia investiga caso de estupro durante desfile na Sapucaí

Jovem estudante de Direito foi vítima de estupro dentro da Sapucaí. Foto: Reprodução.
Jovem estudante de Direito foi vítima de estupro dentro da Sapucaí. Foto: Reprodução.
  • Estudante relata momento do ataque

  • Jovem ficou com marcas pelo corpo e danos psicológicos

  • Delegacia da mulher investiga estupro

Uma estudante de Direito, de 25 anos, foi estuprada na Marquês de Sapucaí durante o desfile das campeãs, no último sábado (30). O caso está sendo investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) do Centro do Rio de Janeiro.

A jovem Ingrid Munk contou à TV Globo que foi abordada no primeiro recuo da bateria.

“Eu desci do camarote para acompanhar de perto a bateria, no primeiro recuo. E um estranho, uma pessoa que eu nunca vi na vida, começou a conversar comigo e, de forma muito rápida, me puxou para um lugar deserto e me empurrou na grade. Em seguida, ele não parou de fazer diversos ataques a mim. Ele me pressionou, tocou nas minhas partes íntimas. Ele me enforcou. Eu ainda sinto dor no pescoço, fiquei roxa”, relata.

Segundo a investigação, o crime ocorreu por volta das 4h do domingo (1). A vítima mostra as marcas, mas diz que sofre mais com o dano psicológico. “Eu não estou dormindo, as minhas noites não são mais as mesmas. Eu sinto enjoo, eu me sinto insegura”, desabafou.

Segundo a estudante, ela decidiu falar sobre o caso para que seu agressor não fique impune. “Eu sei que essa dor vai ficar para sempre, mas a gente pode evitar que essa dor aconteça com outras pessoas, com outras mulheres. Então, denuncie”, disse.

Em nota, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) afirmou que repudia qualquer tipo de agressão ou assédio e que, no dia do ataque, não foi procurada para falar sobre o caso. A Liesa também disse que a equipe de segurança contratada para atuar nos dias de desfile foi estrategicamente alocada na Sapucaí, que conta com câmeras de monitoramento. Por fim, disse que está colaborando com as investigações.

A Riotur, por sua vez, emitiu uma nota lamentando o ocorrido e se colocando à disposição da vítima. Diz também que buscará saber se há imagens do ocorrido feitas pelo monitoramento de vídeo nas dependências da Sapucaí e que acompanha o caso com a polícia.

A Polícia Civil abriu um inquérito foi instaurado para apurar o fato e que está sob sigilo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos