RJ: Professor teria oferecido R$ 250 para aluna, menor de idade, sair com ele

Mensagens mostram professor pedindo fotos íntimas de alunas menores de idade no RJ - Foto: Reprodução/TV Globo
Mensagens mostram professor pedindo fotos íntimas de alunas menores de idade no RJ - Foto: Reprodução/TV Globo

Leonardo Bueno, professor de matemática de uma escola particular de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, investigado por suspeita de assediar pelo menos duas de suas alunas, teria oferecido R$ 250 para sair com uma delas.

O docente está sendo investigado pela Polícia Civil. As investigações começaram depois que o pai de uma das estudantes registrou queixa na delegacia.

As estudantes, que são menores de idade, dizem que o professor mandava mensagens pedindo fotos e até convidava as adolescentes para ir a um motel. Em uma conversa com uma aluna, o professor chega a oferecer dinheiro para a menor sair com ele.

Leonardo foi afastado do Colégio onde dava aula por justa causa na segunda-feira (8). Ele trabalhava na instituição havia dois anos.

"Ele mandou mensagem para essa menina oferecendo R$ 250 para ela sair com ele depois da aula", diz a estudante em mensagem de voz obtida pelo Bom Dia Rio.

As menores afirmam ainda que o professor mandava mensagens de cunho sexual. Em uma delas, ele pede fotos de biquíni para ver imagens de uma parte íntima delas.

Após saber o que tinha acontecido, o pai de uma das alunas foi até a escola e gritou do lado de fora para tentar expor o professor. O homem registrou uma queixa na Polícia Civil.

"Ela contou primeiro para a mãe, e a mãe contou para mim. Ele convidou a coleguinha dela para ir para o motel, ameaçou falando que sabia onde ela mora. Pediu para convidar a minha filha para ir também, depois da aula ele passaria em um local combinado", disse o pai.

Além da demissão, o pai pede que o professor seja preso por assédio.

"É um perfil de pedófilo que a gente conhece. Eu quero é esse cara preso", contou.

Após saber do caso, a equipe administrativa do colégio confirmou que recebeu as denúncias, que logo tomou providências e está orientando e acolhendo os pais e estudantes.

“A gente desligou o professor já de imediato. Fizemos um afastamento por justa causa. Fizemos o contato com a família, pois tivemos que dar um suporte aos pais e para as alunas", disse Ludmila Gama, administradora da escola.

O caso foi registrado na 52ª DP (Nova Iguaçu).