Polícia prende 3º suspeito de assassinar família toda; pai e sogro foram mandantes

Criminosos receberam R$ 100 mil para matar a cabeleireira, os três filhos

Carro carbonizado em que quatro corpos foram encontrados, em Cristalina, Goiás; terceiro suspeito está preso (Divulgação/Polícia Militar)
Carro carbonizado em que quatro corpos foram encontrados, em Cristalina, Goiás; terceiro suspeito está preso (Divulgação/Polícia Militar)

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, na noite de terça-feira (18), um terceiro suspeito de envolvimento na morte da família da cabeleireira Elizamar Silva. Trata-se de Fabrício Silva Canhedo, de 34 anos, e, segundo a investigação, responsável por vigiar parte das vítimas enquanto elas eram mantidas em um cativeiro.

Antes, outros dois suspeitos haviam sido presos. Em depoimento, eles afirmaram que os assassinatos foram encomendados por Thiago Gabriel Belchior de Oliveira, marido da cabeleireira Elizamar Silva, e pelo pai dele, Marcos Antônio Lopes de Oliveira, sogro de Elizamar. Os dois estão foragidos.

Segundo o delegado Ricardo Viana, da 6ª Delegacia de Polícia do Paranoá, após ser preso, Horácio Carlos Ferreira Barbosa, de 49 anos, contou que ele e Gideon Batista de Menezes, de 55 anos, receberam R$ 100 mil para matar a cabeleireira, os três filhos.

Entenda o caso do desaparecimento de 8 pessoas da mesma família

Na quinta-feira (12), Elizamar Silva desapareceu com os três filhos: Gabriel, de 7 anos, e Rafael e Rafaela, de 6 anos.

A moradora de Santa Maria (DF) vivia com o marido Thiago Gabriel Belchior de Oliveira, de 30 anos. Além dos três menores, ela é mãe de um jovem de 24 anos e uma adolescente de 18. Os dois foram os responsáveis por denunciar o sumiço de Elizamar.

Testemunhas disseram que Thiago e a cabeleireira tinham brigado no dia do sumiço dela, que saiu de casa com a crianças. No dia seguinte, o veículo utilizado por ela foi encontrado carbonizado, com quatro corpos dentro.

Depois disso, o marido de Elizamar também sumiu, assim como o pai, a mãe e a irmã dele.

No sábado (14), o carro do sogro da cabeleireira — pai de Thiago — também foi encontrado incendiado, com dois corpos no interior do veículo.

À frente das investigações, o delegado Cássius Zamó, que atua no município de Cristalina (GO), disse que aguarda o resultado de laudos periciais para confirmar a identidade dos mortos.

Parentes das pessoas desaparecidas estiveram no Instituto de Medicina Legal e foi coletado material para a realização de exames de DNA, necessários para a identificação dos corpos uma vez que o reconhecimento pelas impressões digitais não foi possível.

Sem detalhar linhas de investigação, Zamó afirmou que são "fortes" os indícios de que as mortes estejam relacionadas ao sumiço dos oitos familiares que moram no DF.

Quem são as oito pessoas da mesma família desaparecidas:

  1. Elizamar Silva, de 39 anos (morta)

  2. Gabriel, de 7 anos, filho de Elizamar (morto)

  3. Rafael, de 6 anos, filho de Elizamar (morto)

  4. Rafaela, de 7 anos, filha de Elizamar (morto)

  5. Thiago Gabriel Belchior de Oliveira, marido de Elizamar (desaparecido)

  6. Marcos Antônio Lopes de Oliveira, de 54 anos, pai de Thiago (desaparecido)

  7. Renata Juliene Belchior, de 52 anos, mãe de Thiago (desaparecida)

  8. Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos, irmã de Thiago (desaparecido)