Polícia prende homem suspeito de incendiar apartamento da ex

Polícia prende homem suspeito de incendiar apartamento da ex em Goiás - Foto: Reprodução
Polícia prende homem suspeito de incendiar apartamento da ex em Goiás - Foto: Reprodução

Agentes da Polícia Civil prenderam, nesta terça-feira (7), Moisés Domingos da Costa, 45 anos, suspeito de incendiar o apartamento da ex-companheira, em Valparaíso (GO), no Entorno do Distrito Federal. No momento da prisão, o homem estava na casa de um irmão, em São Sebastião.

Não conformado com fim do relacionamento o término do relacionamento, Moisés invadiu o condomínio onde a ex, Cinara Cristina dos Santos Matos, 47, vivia, arrombou o apartamento e incendiou o imóvel. Todos os cômodos foram atingidos pelas chamas, transformando em cinzas móveis, peças de roupa e utensílios domésticos. O caso aconteceu na última sexta-feira (3).

No momento do crime, não havia ninguém no apartamento, pois segundo a vítima, ela e o afilhado haviam saído de lá com medo da violência do suspeito.

Imagens capturadas por câmeras de segurança do condomínio flagraram o momento em que o homem aproveita um momento de desatenção do porteiro e usa uma bicicleta para passar pela guarita sem ser notado.

Ainda de acordo com a empresária, o relacionamento durou cerca de três anos e chegou ao fim em dezembro do ano passado, após muitas ameaças, humilhações e agressões físicas.

Apesar de uma série de medidas protetivas acionadas por Cinara à Polícia Civil de Goiás, ao Ministério Público e ao Poder Judiciário, ela afirma que ele nunca deixou de a perseguir.

“No entanto, ele nunca respeitou as restrições e continuava a me perseguir, tanto nas redes sociais quanto nos lugares em que eu ia. Ele estava sempre rondando e ameaçando a mim e minha família, principalmente as minhas filhas”, disse.

Ainda de acordo com a empresária, por duas vezes, Moisés teria tentado esfaqueá-la depois de discussões. Em ambos os casos, Cinara revelou ter escapado por pouco.

“Ele tentou me furar duas vezes, após estar sob efeito de álcool e drogas. Ele usava o fato de ser usuário para justificar essas agressões. No entanto, costumava ser violento, mesmo sóbrio”, contou.

Por conta das frequentes ameaças e perseguições feitas pelo ex, a mulher precisou mudar totalmente sua rotina em virtude da perseguição feita pelo ex.

“Eu tive de abandonar toda a minha vida praticamente porque ele estava me perseguindo”, desabafou.

A empresária procurou a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) logo após o incêndio criminoso para registrar a ocorrência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos