Policia prende irmãos suspeitos de desviar R$ 13 milhões pelo Pix em SP

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dois irmãos foram presos suspeitos de desviar cerca de R$ 13 milhões com transações comerciais fraudulentas, segundo a polícia, feitas por meio de transferências bancárias via Pix. As principais vítimas deles, segundo a polícia, são bancos digitais. As detenções ocorreram quinta-feira (9), em condomínios de luxo em Sorocaba (99 km de SP) e Salto (101 km de SP).

A falta de segurança para as transações de dinheiro instantâneas fez o Banco Central mudar algumas medidas para evitar crimes, como limites de transferências para o período noturno. Delegados temem que a criminalidade possa aumentar com a facilidade deste tipo de operação bancária.

Segundo o Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), para aplicar os golpes os suspeitos faziam compras, usando máquinas de débito.

A investigação aponta que, durante as transações bancárias, a dupla fazia o estorno de quantias, conseguindo com isso dobrar os valores do golpe. A polícia não deu mais detalhes sobre como o esquema criminoso era feito.

Desde o início do ano, policiais da 6ª Delegacia do Patrimônio, que investiga facções criminosas, monitoram as atividades dos irmãos -- que não tiveram a identidade informada e cujas defesas também não foram localizadas.

Com base nos indícios levantados pelo departamento policial, desde janeiro, a Justiça expediu dois mandados de busca e apreensão, cumpridos na manhã de quinta na casa dos suspeitos, ambas em condomínios de luxo no interior paulista. Nas residências, policiais apreenderam documentação sobre o esquema, além de dois carros de luxo.

Os dois irmãos foram presos e autuados por associação criminosa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos