Polícia prende pedreiro que matou mulher que desapareceu com carro da empresa

·2 min de leitura
Susana foi encontrada morta em zona de mata - Foto: Arquivo Pessoal
Susana foi encontrada morta em zona de mata - Foto: Arquivo Pessoal
  • Pedreiro foi detido por assassinato de Susana Dias Batista no interior de São Paulo

  • Ele foi identificado por análises de câmeras de segurança e por uma testemunha

  • A mulher foi encontrada morta e seminua na última quinta-feira, em uma zona de mata

A Polícia Civil de Itapetininga, no interior de São Paulo, prendeu na noite do último domingo (21) o rapaz acusado de matar Susana Dias Batista, de 47 anos. A mulher foi encontrada morta na quinta-feira (18), após desaparecer com o carro da empresa em que trabalhava.

De acordo com o G1, o homem detido foi identificado como Raimundo Nonato da Silva Pessoa. O pedreiro foi apontado como culpado pelo crime após análise de câmeras de segurança e o depoimento de uma testemunha que o viu entrando no carro de Susana.

Raimundo foi levado à delegacia, onde confessou ter assassinado a mulher, mas negou que a estuprou. Como Susana foi encontrada seminua, porém, a polícia segue investigando o crime.

O pedreiro teve a prisão decretada na sexta-feira (19), mas foi encontrado somente no domingo. De acordo com o boletim de ocorrência, o rapaz tentou resistir à prisão. Na casa onde ele estava, a polícia localizou a roupa utilizada pelo rapaz no dia do crime.

Relembre o caso

Susana encontrada em uma área de mata entre Alambari e Itapetininga. Ela estava desaparecida desde quarta (17), quando saiu para almoçar com o veículo da empresa onde trabalha e não voltou mais.

Veículo da empresa onde Susana trabalhava também foi localizado - Foto: Divulgação/Guarda Civil Municipal
Veículo da empresa onde Susana trabalhava também foi localizado - Foto: Divulgação/Guarda Civil Municipal

Segundo a Polícia Civil, o cadáver vestia apenas roupas íntimas e tinha diversos hematomas no rosto. Susana foi levada ao Instituto Médico Legal (IML) de Itapetininga, onde a causa da morte seria investigada.

Sumiço ao sair para almoço

O boletim de ocorrência registrado por familiares dá conta de que Susana havia desaparecido após deixar uma loja de máquinas e ferramentas, em que trabalha como subgerente em Itapetininga, para almoçar.

Horas depois, um colega de trabalho foi contatado e informado de que a picape na qual a mulher havia saído tinha sido encontrada abandonada próxima a um hospital da cidade. As rodas estavam danificadas e os bancos haviam sido empurrados para frente.

Investigação da filha

Filha de Susana, Tainá César, de 25 anos, contou ao G1 que, assim que soube do desaparecimento, rastreou o celular da mãe e fez buscas pelos locais nos quais ela havia passado.

"Vi que o sinal do celular da minha mãe indicou que ela passou por uma farmácia e depois por Alambari. Fui até os comércios e pedi as imagens. Consegui vídeos e descobri que minha mãe foi abordada por um homem, ainda na farmácia", disse.

O vídeo mostra um rapaz próximo à picape utilizada por Susana e dá a impressão de que ele se aproxima do veículo. Nas imagens, porém, não fica claro se o homem entra no carro.

Dois ciclistas conhecidos de Susana a reconheceram próximo à saída de Itapetininga, sentido Alambari. Momentos depois, o carro teria sido visto voltando à cidade, já sem a mulher no interior.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos