Polícia prende suspeito de participar de assassinato da PM desaparecida em SP

Arquivo pessoal

Um suspeito de envolvimento no assassinato da policial militar Juliane dos Santos Duarte foi preso na segunda-feira (6).

Segundo a polícia, o nome dele é Everaldo Severino da Silva, de 45 anos, conhecido como “Sem Fronteira”. O homem foi preso em Paraisópolis, comunidade na zona sul de São Paulo, onde Juliane estava quando desapareceu.

“Sem Fronteira” correu ao ver os policiais e tentou se livrar de três celulares no momento da abordagem. A PM chegou até ele por meio de uma denúncia anônima.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo chegou a oferecer uma recompensa de R$ 50 mil por informações que levassem à descoberta do paradeiro da policial.

Marco Ambrósio/Futura Press

Policiais militares encontraram o corpo da policial, que estava desaparecida desde a madrugada de quinta-feira, em uma rua de Jurubatuba, também na zona sul, a 8,5 km do local onde desapareceu. 

Quando desapareceu, Juliane foi levada por um bando com homens encapuzados e armados, após ter se identificado como policial em um bar em Paraisópolis. Era a primeira madrugada dela das férias deste ano da corporação. Após o desaparecimento da soldado, policiais civis e militares vasculharam a região da comunidade, com carros e helicópteros.

O secretário estadual de Segurança Pública Mágino Alves esteve presente no velório da PM. Ele disse que a investigação está avançando.