Polícia vai pedir exumação do corpo da jovem que pode ter sido envenenada

Jovem teria sido envenenada pela madrasta, assim como seu irmão mais novo. Foto: Reprodução.
Jovem teria sido envenenada pela madrasta, assim como seu irmão mais novo. Foto: Reprodução.
  • Jovem pode ter sido envenenada, assim como seu irmão

  • Madrasta está presa em Benfica

  • Ela pode estar envolvida em outros homicídios

A Polícia Civil afirmou que irá à Justiça requisitar a liberação para que o corpo de Fernanda Carvalho Cabral, de 22 anos, possa ser exumado para análise no Instituto Médico Legal (IML).

A polícia quer saber se foi envenenada, assim como seu irmão mais novo, Bruno, de 16 anos, pela madrasta, Cíntia Mariano Dias Cabral. A suspeita está presa em Benfica e teve a prisão mantida pela audiência de custódia neste domingo (22).

Além disso, agentes da 33ª DP (Realengo) também irão investigar se Cíntia está envolvida em outras duas mortes: a do ex-marido e de uma vizinha.

Relembre o caso

A madrasta é suspeita de tentar matar por envenenamento o enteado de 16 anos, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, além de ser investigada por matar a irmã do adolescente também por envenenamento, há 2 meses.

A madrasta foi presa nesta sexta-feira (20) acusada de homicídio qualificado contra outra enteada há dois meses, e pela tentativa de homicídio contra o jovem de 16 anos.

De acordo com investigações da 33ª DP (Realengo), o estudante de 16 anos deu entrada na tarde de 15 de março no Hospital Municipal Albert Schweitzer, no mesmo bairro, com tonteira, língua enrolada, babando e com coloração da pele branca.

Os sintomas apareceram após comer um prato de feijão feito e servido pela mulher que mantinha um relacionamento conjugal com seu pai.

Na ocasião do almoço, o adolescente reclamou que o feijão estava com gosto amargo e o colocou no canto do prato. A madrasta então levou o prato de volta a cozinha e colocou mais comida.

Após a refeição, o estudante foi deixado na casa da mãe, Jane Carvalho Cabral, que minutos depois ligou para o ex-marido contando dos sintomas apresentados pelo filho. Levado ao hospital, o jovem foi submetido a uma lavagem gástrica e teve a intoxicação exógena diagnosticada pela equipe médica. Ele continua internado.

Fernanda Carvalho Cabral, de 22 anos, irmã do adolescente, sentiu os mesmos sintomas e morreu na mesma unidade de saúde, 12 dias após ser internada. Inicialmente, o caso foi tido como causa natural, mas agora o suposto homicídio da jovem está sendo apurado em outro inquérito da delegacia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos