Policiais de Miami ajoelharam para mostrar empatia durante protesto antirracista

Policiais se ajoelharam para mostrar empatia. Foto: Reprodução/Instagram

Policiais de Miami, nos Estados Unidos, ficaram de joelhos em frente aos manifestantes que protestavam contra a brutalidade policial e em memória de George Floyd, que foi morto na semana passada após ser sufocado pelo oficial Derek Chauvin durante uma abordagem. A ação do policial foi gravada por pessoas que passavam no local e ajudou a fazer com que ele fosse preso dias depois do assassinato.

A ação dos policiais de Miami simboliza um “pedido de desculpas”, mostra empatia e que eles estavam do lado das mais de 200 pessoas que estavam presentes no protesto. De acordo com o jornal Miami Herald, pouco mais de 20 chefes de polícia se juntaram aos manifestantes na cidade de Coral Gables.

Policial abraça manifestante. Foto: Reprodução/Instagram

Segundo a publicação, Ed Hudak, chefe de polícia de Coral Gables, foi porta-voz dos outros policiais ao falar com os manifestantes. De acordo com ele, o problema da brutalidade policial não seria resolvido em um dia. Por conta disso, ele ofereceu um diálogo. "Nós vamos alcançar a justiça juntos", afirmou.

Leia também:

Segundo a publicação, Hudak sugeriu fazer uma reunião com os manifestantes via Zoom para que eles pudessem discutir sugestões e problemas. Depois, as pessoas que estavam protestando e os policiais rezaram juntos. Outros manifestantes conversaram em pequenos grupos e de forma individual com alguns policiais.

Policiais e manifestantes unidos. Foto: Reprodução/Instagram

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Nas redes sociais, as cenas de empatia entre policiais e manifestantes rodaram o mundo e foram compartilhadas milhares de vezes pela população, políticos e até por celebridades. A cena emocionou em um momento em que a polícia está agindo de forma brutal contra as pessoas que estão pedindo justiça pela morte de Floyd.

Policiais com cartaz dizendo: "Acabe com a brutalidade policial". Foto: Reprodução/Instagram