Policiais federais paralisaram em todas as capitais por execução dos R$ 1,7 bi para reestruturação de carreira

Policiais federais paralisaram as atividades em todas as capitais do país nesta quinta-feira, como forma de pressionar o governo federal para executar os R$ 1,7 bilhão reservados no Orçamento deste ano para a reestruturação de carreiras policiais. Os atos foram realizados em frente às superintendências estaduais.

Segundo entidade que representa o setor, houve alta mobilização nas principais superintendências da Polícia Federal — Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Brasília — e aguardam uma resposta do Ministério da Justiça e Segurança Pública até o final desta quinta-feira.

A reserva para a reestruturação de carreira foi incluído no orçamento pelo relator, o deputado Hugo Leal (PSD-RJ), a pedido do ministro da Justiça e Segurança Pública, para Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Departamento Penitenciário Nacional.

Em reunião com representantes dos policiais realizada há duas semanas, o ministro Anderson Torres informou às categorias que havia parecer favorável da Procuradoria Geral de Fazenda Nacional para a aplicação da verba independentemente da Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo a regra, gastos com pessoal só podem ser aplicados até seis meses do fim do mandato, ou seja, 30 de junho.

Caso o governo não atenda à demanda, o vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luiz Carlos Cavalcanti, informa que os policiais já se preparam para tomar todas as medidas cabíveis de mobilização até que a alteração nas carreiras seja aplicada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos