Policiais Militares suspeitos de matar feridos no Rio são presos

LUIZA FRANCO, NICOLA PAMPLONA E SÉRGIO RANGEL

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Foram presos na madrugada desta sexta (31) os dois policiais suspeitos de matarem dois homens feridos na Fazenda Botafogo, zona norte do Rio, na tarde da última quinta (30). A cena foi flagrada em vídeo.

Os PMs foram presos após prestarem depoimento na Divisão de Homicídios da capital. Eles foram autuados por flagrante de homicídio em decorrência de operação policial.

O número de mortes em confronto disparou na região do batalhão policial que atende o bairro onde aconteceu o flagrante, o 41º (Irajá). Em fevereiro de 2016, apenas uma morte foi registrada. Neste ano, foram 14.

O mesmo aconteceu no Estado como um todo. Em fevereiro de 2016 houve 49 mortes decorrentes de confrontos. Neste ano foram 84.

O flagrante foi feito após troca de tiros que resultou na morte de uma adolescente dentro de uma escola no bairro. A ação foi gravada e divulgada nas redes sociais.

No vídeo, dois policiais se aproximam dos homens já caídos no chão. Um deles atira em um dos suspeitos, que ainda estava vivo, após tirar de perto dele uma arma.

Logo depois, o outro policial atira no outro homem, que também aparentava estar vivo.

Em nota, a PM classificou o caso de "flagrante ilegalidade" e diz que a corregedoria interna assumirá a apuração para responsabilizar os envolvidos.

Segundo o comando do 41º BPM, o batalhão fora acionado na tarde de quinta para intervir em ação de marginais que estavam praticando crimes na Rua Prefeito Sá Lessa, Fazenda Botafogo, próxima ao Rio Acari.

Antes do flagrante, Maria Eduarda Alves da Conceição, 13, foi atingida por uma bala perdida enquanto participava da aula de educação física na escola. No momento, havia troca de tiros entre polícia e bandidos na região.

Segundo a Secretaria de Educação, ela era aluna do 7º ano. Ao saber da morte, sua mãe passou mal.

Em nota, o prefeito Marcelo Crivella disse lamentar a morte da estudante e prometeu apoio à sua família.

No início da noite, moradores da área fecharam a avenida Brasil em protestos que geraram confrontos com a polícia e longos engarrafamentos. A via chegou a ser interditada nos dois sentidos, segundo o Centro de Operações Rio.

Há relatos de que bandidos aproveitaram o engarrafamento para fazer arrastões e roubar os motoristas.