Funcionário da Cruz Vermelha morre baleado no sul do Iêmen

Sana, 21 abr (EFE).- Um funcionário do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) de nacionalidade libanesa morreu neste sábado em um ataque armado contra o veículo da organização no qual viajava para a cidade de Taiz, no sul do Iêmen, informaram à Agência Efe, o porta-voz desta organização humanitária no país árabe, Adnan Hizam, além de testemunhas.

"Um companheiro morreu em Taiz e estamos reunindo dados para saber quem está por trás do ataque", disse Hizam.

Em sua conta oficial no Twitter, o CICV no Iêmen disse que a organização está "de luto" pela morte de um companheiro que faleceu baleado nesta manhã e acrescentou que está investigando mais dados sobre este "trágico incidente".

O taque aconteceu na região de Al Dabab, localizada no oeste de Taiz, que é atualmente palco de confrontos entre os rebeldes houthis, que assediam a cidade, e as forças governamentais, que a controlam.

O CICV é uma das poucas organizações humanitárias que opera no Iêmen, devido à insegurança pelos confrontos entre o exército e os rebeldes, e a presença de grupos armados radicais como Al Qaeda.

O conflito entre os houthis e as forças leais ao governo do presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi começou em 2014, depois que os primeiros assumiram o controle da capital e outras zonas do norte e oeste do país.

A guerra se agravou em março de 2015 com a intervenção da coalizão militar liderada pela Arábia Saudita em apoio às tropas governamentais, o que exacerbou a crise humanitária no país, onde três quartos da população precisam urgentemente de ajuda. EFE