Policial britânico é demitido por pagar R$ 0,75 em caixinha para caridade por biscoitos de R$ 7,50

·2 min de leitura
Jaffa cakes
Ao pagar um valor inferior pelos Jaffa Cakes, Chris Dwyer violou várias normas de comportamento profissional da polícia

Um policial que pegou dois pacotes de biscoitos de uma barraca de caridade sem pagar o preço total foi demitido da corporação de West Yorkshire, no Reino Unido.

Chris Dwyer, de 51 anos, pagou apenas £ 0,10 (aproximadamente R$ 0,75) por dois pacotes da guloseima na cantina da delegacia de polícia de Halifax, em vez do preço correto de £ 1 (cerca de R$ 7,50).

E, de acordo com a comissão que apurou sua conduta imprópria, ele também tentou "mudar e florear" sua versão do ocorrido quando questionado a respeito.

Ele foi considerado culpado de má conduta grave e foi demitido imediatamente.

A barraquinha montada na delegacia de polícia de Halifax — para ajudar a arrecadar fundos para uma viagem de caridade a Uganda — vendia guloseimas e refrigerantes a £ 0,50 cada.

Entre os produtos à venda, estava o Jaffa Cake — doce tradicional inglês com textura de bolo, mas formato de biscoito, recheado com geleia de laranja e com cobertura de chocolate.

A comissão foi informada que Dwyer foi à banquinha de caridade no dia 21 de janeiro, e depois de colocar algum dinheiro na caixinha, pegou dois pacotes de Jaffa Cakes.

Posteriormente, um colega levantou suspeitas sobre um possível pagamento insuficiente por parte do policial e, quando foi verificado, constatou-se que o fluxo de caixa teve um aumento de apenas £ 0,10.

Quando questionado sobre o assunto, Dwyer deu relatos desonestos e suas evidências foram "evasivas e uma tentativa de reduzir sua culpa", concluiu a comissão.

O policial, que entrou para a Polícia de West Yorkshire em 2017, negou ter violado as normas da polícia.

E alegou inicialmente que havia colocado cinco moedas de £ 0,20 na caixinha, mas depois disse que não conseguia se lembrar do "valor exato".

'Abuso de confiança'

O presidente da comissão, Akbar Khan, disse que as atitudes de Dwyer foram um "abuso de confiança" e trouxeram "descrédito à polícia e ao serviço".

"O policial é o único culpado por sua própria conduta, que foi desonesta e de natureza criminosa", ele acrescentou.

"A natureza de sua desonestidade está relacionada ao pagamento insuficiente de itens cuja venda era para apoiar uma instituição de caridade da qual ele estava plenamente ciente."

A comissão concluiu que Dwyer violou as normas profissionais da Polícia de West Yorkshire no que diz respeito à integridade, honestidade e conduta imprópria.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos