Policial civil mata irmã de 18 anos com tiro acidental em SP

Policial civil limpava a arma quando ocorreu o disparo acidental. Foto: Getty Images.
Policial civil limpava a arma quando ocorreu o disparo acidental. Foto: Getty Images.
  • Agente limpava a arma e havia pedido para jovem filmar

  • Irmã chegou a ser socorrida, mas não resistiu

  • Policial Civil responde por homicídio em liberdade

Um policial civil matou acidentalmente a irmã, de 18 anos, nesta quinta-feira (16), em Botucatu, no interior de São Paulo. Leonardo Matheus Carmello, de 28 anos, foi solto nesta sexta-feira (17), após dar depoimento. Ele responderá pelo crime de homicídio em liberdade.

Segundo o boletim de ocorrência, o policial limpava a arma, uma pistola 9mm, e pediu para sua irmã, Maria Vitória Carmello filmar. A arma acabou disparando e entrou no pescoço da jovem.

Leonardo chamou o Samu (Serviço Móvel de Urgência) e a jovem foi levada para o pronto-socorro do Hospital das Clínicas. A instituição acionou a Polícia Militar.

Aos agentes, Leonardo disse que é agente de papiloscopia - trabalha analisando digitais humanas - e que havia concluído recentemente o curso da Academia de Polícia Civil. No momento, ele realiza estágio, enquanto aguarda para ser designado a uma unidade policial.

Segundo a PM, Leonardo estava alterado e um laudo do IML (Instituto Médico Legal) comprovou que ele havia ingerido bebida alcoólica.

Mais tarde, a corporação encontrou a arma em um guarda-roupas na residência da família, localizada no bairro Boa Vista. Leonardo acompanhou os agentes e relatou que o disparo ocorreu na cozinha. Não havia sinais de sangue, após a família limpar o local, mas policiais identificaram uma marca de tiro na parede.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos