Policial da tropa de elite da Polícia Civil do Rio morre de Covid-19

·1 minuto de leitura

O policial civil Alexandre Panichi, que servia na Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), morreu em decorrência de complicações pela Covid-19. O agente "lutou bravamente" contra a doença por quase 50 dias, como destacou o comunicado publicado nas redes sociais da corporação no início da tarde desta segunda-feira.

De acordo com a publicação, o estado de saúde do policial era instável, tendo momentos de melhora e outros de piora no quadro. O texto, que é acompanhado de uma foto do agente, destaca "a coragem, a humildade e o profissionalismo" como características de Panichi.

Um colega de farda comentou na publicação da CORE:

"Que triste, um dos melhores que conheci, perda muito grande para a instituição..."

O delegado da CORE, Fabrício Oliveira, compartilhou um vídeo do policial em que conta sobre ter realizado o sonho de ser policial e de ter como motivação a família e o filho Miguel. Além da nota da corporação sobre a morte do agente, o delegado escreveu:

"Realizou o seu sonho de ser policial e, com certeza, foi um dos melhores!"

Numa publicação também em rede social, um amigo de farda fala do trabalho ao lado de Panichi:

"Lutamos juntos,

Vencemos juntos e

Morremos juntos!!

Panichi, exemplo de vontade, dedicação, superação e coragem! Exemplo de pai, família, irmandade e de muitas outras coisas...

Doença desgraçada, muito triste!"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos