Policial 'influencer' é punida após fotos com farda e armas em redes sociais

Policial Ruana Pedrosa posa com armas em foto para uma rede social - Foto: Reprodução
Policial Ruana Pedrosa posa com armas em foto para uma rede social - Foto: Reprodução

Uma policial civil de Pernambuco foi suspensa pela Secretaria de Defesa Social (SDS) após postar vídeos em uma rede social com a farda da corporação e utilizando distintivo e armas.

Os vídeos compartilhados por Ruana Pedrosa Andrade, na rede social com mais de 290 mil seguidores, já somam milhões de visualizações.

Nesta terça-feira (6), por meio de uma portaria publicada pela SDS, a policial recebeu uma pena disciplinar de suspensão de 14 dias por condutas como divulgar, segundo o documento, "fatos ocorridos na repartição", negligência no cumprimento dos seus deveres e por dar conhecimento ao público de "informações sobre investigações e serviços de interesse policial".

No entanto, a punição foi convertida em multa de 50% por dia de vencimento ou remuneração, obrigando a servidora a permanecer no serviço.

A Secretaria de Defesa Social alega na portaria, que alguns dos vídeos de Ruanda "possivelmente" foram produzidos "em recintos de unidades da Polícia Civil de Pernambuco durante o expediente".

Além disso, o documento diz que o comportamento está em "desconforme às expectativas do padrão", e que ela negligenciou "os deveres zelar pela dignidade da função policial" que, de acordo com a publicação, deve "ter conduta pública irrepreensível, ser discreta no exercício da função e ser leal às instituições constitucionais".

A punição da agente foi classificada pelo Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) como "exagerada". Segundo o presidente da entidade, Rafael Cavalcanti, essa medida é mais uma que tem a marca dos procedimentos adotados pela corregedoria da SDS no atual governo.

Cavalcanti, diz ainda que a policial é uma servidora "exemplar" e não comprometeu os símbolos da corporação com os vídeos publicados.

"Vamos acompanhar esse caso e poderemos até entrar com medidas judiciais para apoiar a policial", declarou o presidente do Sinpol.

Sobre a punição por conta das postagens dos vídeos, Ruana Pedrosa ainda não se posicionou.